brasil-feminista-fora-bolsonaro-meu-voto-será-feminista
Foto: reprodução

O Brasil feminista contra Bolsonaro

Postado em 02/12/2021, 18:47

O sábado (4) será de protestos organizados por mulheres integrantes de organizações sociais, sindicais e partidárias de várias partes do país.

Este sábado (4) é o Dia Nacional de Mobilização das Mulheres Contra Bolsonaro. No país inteiro haverá atos organizados pelos movimentos de mulheres como enfrentamento ao Governo Bolsonaro e para o resgate urgente da democracia. Historicamente as mulheres conduzem microrrevoluções em busca de transformação da realidade de opressão, violência e invisibilização que vivem no cotidiano e nas representações no poder. Na história recente a ação organizada das mulheres está ainda mais contundente e elas seguem à frente de manifestações robustas que somam indignação diante das propostas políticas desumanizadoras, antidemocráticas e pautadas pela violência.

Assim foi no #Elenão”, em 2018, quando às vésperas do primeiro turno eleitoral um mar de mulheres foi às ruas protagonizar sua mensagem política radicalmente contra Bolsonaro e a escancarada promessa de barbárie. As mulheres diversas também foram aliadas das/os estudantes nos manifestos pela Educação Pública; novamente na Marcha das Margaridas, e mais recentemente na Marcha Nacional das Mulheres Indígenas, sem falar na presença em todos os atos #ForaBolsonaro realizados este ano.

Respeitando as singularidades na diversidade, as mulheres projetaram uma unidade de luta e enfrentamento cotidiano aos retrocessos que cerceiam os direitos da população e massacram com perversidade extra o corpo da mulher, especialmente da mulher negra, trans, com deficiência, periférica, indígena.

Neste ato de sábado, as mulheres elevarão o tom, pautando a agenda de lutas que fará de 2022 um novo marco histórico. Estaremos nas ruas e posicionadas nas urnas, para escrever de próprio punho a história que queremos. E ela está pavimentada no estado de Direito, na democracia e na inegociável emancipação de todas. A garantia dos direitos constitucionais não pode ser concessão de quem se elege, mas um dever, que será cobrado por todas nós.   

O governo Bolsonaro zombou da ciência e contribuiu com milhares de mortes por Covid-19, aprofundou o quadro de desigualdade, trazendo o Brasil novamente ao mapa da fome e do desemprego. Criou leis que precarizam ainda mais as trabalhadoras e trabalhadores, desfez políticas públicas importantes em todas as áreas, desprotegendo as pessoas mais vulneráveis.

Nos une a necessidade combater as violências ampliadas ao patamar de política pública – o grito não será contido. Todas e cada uma estão convocadas a este manifesto coletivo, que quer a presença de quem se compromete com o combate à feminização da pobreza, ao racismo, à LGBTfobias e a todas as ações que agravam a situação das mulheres no Brasil, numa luta necessariamente anti-imperialista, democrática, antirracista e feminista.

Procure o movimento de mulheres da sua cidade para somar no ato do sábado!




O Meu Voto Será Feminista é um projeto autogestionado e suprapartidário, criado em 2018 no ecossistema da movimentação PartidA Feminista e que a partir de 2019 ganha vida própria. As co-criadoras e gestoras do projeto – Bia Paes, Carol Vergolino, Daiane Dultra e Juliana Romão – estão sediadas em Recife/PE e comandam de lá o movimento nacional, potencializando o Nordeste na luta por mais mulheres no poder.
Veja a coluna da Meu Voto Será Feminista