Vitori Elena é uma das organizadoras do “Tem sapatão na UDESC” | Foto: Chris Mayer

Cultura e ativismo marcam dia da visibilidade lésbica

Postado em 29/08/2017, 11:03

Estudantes da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Faed/Udesc) criaram o “Amor entre Mulheres: Tem sapatão na Udesc”. O evento procura marcar o Dia da Visibilidade Lésbica com uma programação artística, cultura e de debates no espaço da universidade. A primeira edição prevê resgate histórico e o reconhecimento das pautas do movimento, além de promover a visibilidade da produção artística de mulheres lésbicas. Temas como  saúde e especificidades das mulheres lésbicas negras surgem ao longo da programação. “Assuntos que a gente acha que são da vida privada que descobre, em conjunto, que são temas públicos”, explica Raísa, estudante de Pedagogia.

Alunas de diferentes cursos e uma ex-aluna se reuniram para construir a programação | Foto: Chris Mayer

A partir de pesquisas históricas, as estudantes procuram evidenciar a biografia de mulheres e movimentos de luta pelos direitos das mulheres lésbicas. “Tentamos fazer as pessoas enxergarem além dos estereótipos e as próprias mulheres lésbicas se enxergarem. É importante falar das violências, como a lesbofobia e a misoginia, mas também é fundamental mostrar este lado positivo”, afirma a estudante de História e bolsista do  Laboratório de Relações de Gênero e Família (LABGEF), Laura Ott, uma das idealizadoras do projeto, junto com a estudante de Pedagogia, Vitori Elena.

O objetivo mais imediato do movimento é ampliar a visibilidade dentro da própria universidade. “A gente existe, ocupa este espaço e a nossa presença nos corredores causa questionamento, seja pela forma de se vestir, de se portar ou se expressar. Nossa ideia é separar este momento pra dizer que a gente tá aqui e quer construir junto”, explica a estudante de História, Leda Mara Batista, que chamou a namorada Thuani Fagundes pra ajudar a organizar o evento.O amor entre mulheres nos dá outro tipo de consciência e nos move de uma outra maneira enquanto jovens. Queremos mostrar que mulheres lésbicas produzem em diferentes campos do saber”, afirma.

Ex-aluna da Udesc, Tuany Fagundes (D) foi chamada pela namorada Lêda Mara Batista para participar da organização do evento | Foto: Chris Mayer

O aprofundamento da condição das mulheres lésbicas e negras é uma dimensão de destaque da proposta. A estudante de geografia Bruna Barreto trouxe suas poesias de amor e resistência para expor durante o evento. “Falo das minhas vivências como mulher negra e lésbica. A gente não vê autoras lésbicas e muito menos lésbicas e negras. Somos invisibilizadas. Quero mostrar o que eu faço”, declara.

Arte, cultura, história e ativismo na exposição do evento “Aqui tem sapatão”, que concentra trabalhos produzidos por alunas da Faed e do Centro de Artes da Udesc | Foto: Chris Mayer

As atividades para marcar o Dia da Visibilidade Lésbica em Florianópolis começaram ainda nesta segunda (28), com a exibição do doc “A vovozinha que gosta de outra vovozinha”, promovida pela ong Acontece Arte e Política LGBT. Hoje, a programação na Udesc começa às 13h na sala 207 da Faed com uma mostra de curtas Lésbicos. Às 15h, acontece uma roda de conversas sobre “Vivência, Resistência e Visibilidade” com a professora Jeruse Romao. Também a partir desta terça, inicia na Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc) o “Descolando velcro”, evento que abre com uma passeata dentro do câmpus. Confira!

 

Veja a programação completa dos eventos:

Amor entre mulheres: Tem sapatão na Udesc

‘Descolando velcro’ abordará resistência e visibilidade lésbica

::Confira outras atividades na Agenda Catarinas::

Tags: , ,