Aborto seguro e crítica feminista no programa “Nunca en Domingo” 65

Postado em 27/09/2017, 16:49

Apenas quatro países permitem o aborto legal, gratuito e seguro: Uruguai, Porto Rico, Cuba e Guiana. O aborto seguro, em debate neste 28 de setembro, Dia de Luta pela Descriminalização e Legalização do Aborto na América Latina e no Caribe, é a pauta que abre o programa feminista de rádio “Nunca en Domingo” desta semana. Produzido pelo Coletivo Feminista Cotidiano Mujer, o programa faz um chamamento para a campanha mundial #UnGritoGlobal por el #AbortoLegal.

:: Leia também :: Virada Feminista On-line reúne especialistas durante 24 horas para falar sobre aborto

O Dia de Luta pela Descriminalização e Legalização do Aborto na América Latina e no Caribe foi sugerido por um grupo de ativistas brasileiras durante o 5º Encontro Feminista Latinoamericano (Eflac) em 1990, conta o programa. A data coincide com a promulgação da Lei do Ventre Livre, decreto que permitiu a liberdade aos filhos e filhas nascidas/os de escravas. “A data surgiu em defesa de outra liberdade: a liberdade das mulheres para decidir sobre seus corpos”, dizem as apresentadoras. Este ano, ocorre a 14ª edição do Eflac em Montevidéu e terá cobertura jornalística do portal de mídia independente Catarinas.

Também nesta edição, o programa debate sobre o “Neoliberalismo progressista”, termo cunhado pela norteamericana Nancy Fraser para definir a cooptação de alguns movimentos feministas, ambientais e por diversidade sexual pelo neoliberalismo. O texto está publicado neste link

“Nunca en domingo” é apresentado pelas ativistas do coletivo Cotidiano Mujer Helena Suarez e Elena Fonseca. A trilha sonora da edição 65 é a música “Bésame Mucho” na versão da banda argentina Perotá Chingó, liderada pelas cantoras Julia Ortiz e Dolores Aguirre.

:: Leia também:: Catarinas passa a reproduzir programa de rádio uruguaio “Nunca en domingo”

Clique e ouça o programa:




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas