Evento acontece de maneira online e presencial, em Florianópolis, entre os dias 14 e 18 de dezembro.

Melissa é estudante de direito e mãe de 21 anos. Marcelly, aos 35, está desempregada e mora com a família no interior. Elas são travestis que vivem em pontos distintos da Rodovia Transamazônica, território onde o desenvolvimento prometido nunca chegou. Esta é a história de Transamazonia, um dos filmes exibidos durante o III Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina, que acontece em Florianópolis, entre 14 e 18 de dezembro. Mais de 60 filmes compõem a programação totalmente gratuita.

Importante vitrine nacional para a divulgação e fomento de conteúdos audiovisuais LGBTQIA+, a Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina é o único do segmento em atividade no sul do Brasil. “Existe diversidade no Sul do Brasil e ela está cada vez mais ocupando seu espaço. O Festival mostra isso”, afirma Artur Gomes, um dos organizadores do evento.

Festival_Transforma_exibe_mais_de_60_filmes_LGBTQIA
Imagem: Divulgação.

O Festival emprega mais de 50 pessoas na equipe e a maior parte são LGBTQIA+. “Para nós é importante porque gera empregabilidade, mas também para que esse povo se veja nas telas. O Festival, para além de ser um espaço de formação de plateia, ele age na pedagogia da reconstrução social das pautas LGBTQIA+”, defende Gomes.

Consolidada como um dos festivais mais relevantes de todo o país, a Transforma ganhou notoriedade por abordar temáticas relacionadas às discussões sobre a diversidade sexual, de gênero e da cultura LGBTQIA+. Os participantes devem retirar seus ingressos com antecedência, de forma gratuita, no site do Festival Transforma

“Eu penso na Transforma como uma importante ferramenta de reparação social. Há alguns anos víamos muitas travestis e pessoas transexuais que nunca haviam estado dentro de uma sala de cinema. Hoje, vemos elas nos palcos da Transforma apresentando um festival de cinema, nas poltronas assistindo, sendo homenageadas e recebendo prêmios em diversas categorias”, celebra Lirous K’yo Fonseca Ávila, uma das organizadoras do festival.

Em sua terceira edição, a Transforma oferecerá uma série de ações em modelo híbrido, de forma presencial e virtual. Serão exibidos mais de 60 filmes, originários de diferentes regiões do Brasil, painéis temáticos, oficinas formativas e shows nacionais. Um dos destaques deste ano fica por conta da Mostra Competitiva, que apresentará filmes realizados em formato de curta-metragem, com até 25 minutos, nas categorias de ficção, documentário e experimental.

“A terceira edição da Transforma buscou, através de sua curadoria, retratar a diversidade e a pluralidade presentes no Brasil”, explica Thomas Dadam, responsável pela programação. Para ele, as obras exibidas carregam as particularidades do que é ser LGBTQIA+ num país de proporções continentais. “Para nós, idealizadores e produtores do festival, essa é uma grande conquista, pois entendemos que o evento, hoje, é uma importante janela do cinema brasileiro, atingindo realizadores de norte a sul do país”, comemora Dadam.

A organização da Transforma respeitará todas as determinações sanitárias vigentes que propiciem um ambiente seguro para todas as pessoas, com a exigência do uso de máscaras e do comprovante de duas doses da vacinação contra a Covid-19. A ocupação será de 50% da capacidade. “Uma ação potente que estamos realizando é que os lugares marcados para as pessoas não sentarem, por conta do distanciamento social, estarão marcados com o nome de pessoas LGBTQIA+ que já faleceram e lutaram para que espaços como o Festival pudessem acontecer”, destaca Artur Gomes.

Festival_Transforma_exibe_mais_de_60_filmes_LGBTQIA+_de_todos_os_cantos_do_país (2)
Ação marca poltronas vazias com nomes de influências LGBTQIA+ que já faleceram | Imagem: Assessoria.

Idealizado e organizado pela BAPHO Cultural (produtora cultural LGBTQIA+) e a Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade (ADEH), a III Transforma é um projeto financiado pelo edital Prêmio Catarinense de Cinema (PCC/2019), do Governo do Estado de Santa Catarina. O evento conta também com o apoio do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC), da Vitrine Filmes e da Olhar Distribuidora.

Unicórnio de Ouro

Uma das novidades para a edição de 2021 da Transforma fica por conta da entrega do troféu Unicórnio de Ouro, que será outorgado aos vencedores das 22 categoria sem disputa, com destaque para: Filme (Júri Técnico e Voto Popular), Documentário (Júri Técnico e Voto Popular), Atriz, Ator, Roteiro, Direção, Direção de Arte, Direção de Fotografia, Direção de Som, Trilha Sonora, Olhar Transformador (Ficção e Documentário), BAPHO Cultural (relativo à arte e cultura LGBTIA+), ADEH (diversidade sexual e defesa dos direitos humanos) e Afronte (filme que combate preconceitos sociais ou estruturas políticas dominantes). 

TransforME

Em paralelo à III Transforma acontecerá a transforME, um espaço dedicado exclusivamente para produtores, obras e projetos LGBTQIA+. Um evento inédito no país, com o objetivo de ampliar a discussão e potencializar narrativas que abordam questões relevantes sobre diversidade sexual e de gênero. Esta ação acontecerá no dia 18 de dezembro, com atividades gratuitas e 100% online. 

Transforma Itinerante

O roteiro de atrações do festival contemplará também outras cidades, com ações virtuais especiais em Chapecó, Lages, Criciúma, Blumenau e Joinville. “A ideia da mostra itinerante é apresentar os filmes que foram premiados no evento, criar intercâmbio com as mesorregiões catarinenses e formar novas pessoas que possam articular essa produção cultural LGBTQIA+ para além de Florianópolis”, finaliza Arthur Gomes, um dos idealizadores do projeto.

Programação

Terça-Feira (14/12), a partir das 21h

Mostra de Longas-metragens

Transamazonia (Ficção: 75 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Quarta-feira (15/12)

Mostra 44 (Curtas-Metragens), a partir das 17h

Vênus – Filó a Fadinha Lésbica (Ficção: 6 minutos | Classificação Indicativa – 16 anos)

A Felicidade Delas (Ficção: 14 minutos | Classificação Indicativa – 16 anos)

Girls and Sex – I Feel Like Girls (Documentário: 14 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Temporal (Ficção: 8 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Minha História é Outra (Documentário: 22 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Colômbia (Ficção: 17 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Mostra Panorama (Curtas-Metragens), a partir das 19h

Copacabana Madureira (Ficção: 18 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Marco (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 10 anos)

Vinde Como Estais (Documentário: 15 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Aquele Casal (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Selma Depois da Chuva (Ficção: 12 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Mostra de Longas-metragens, 21h

As Filhas do Fogo (Ficção)

Quinta-feira (16/12)

Mostra Novos Olhares (Curtas-Metragens), a partir das 17h

Haiku de um Poeta Morto (Ficção: 5 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Projeção Queer (Documentário: 11 minutos | Classificação Indicativa – 18 anos)

Papinha de Goiaba (Ficção: 15 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

profanaAÇÃO (Ficção: 25 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Aquele Infindável Mês de Agosto (Ficção: 15 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Zara (Documentário: 25 minutos | Classificação Indicativa –  Livre)

Mostra Panorama (Curtas-Metragens), a partir das 19h

Auto Falo (Ficção: 21 minutos | Classificação Indicativa – 10 anos)

Baunilha (Documentário: 13 minutos | Classificação Indicativa – 16 anos)

Hoje Eu Não Fico No Vestiário (Documentário: 12 minutos | Classificação Indicativa- 14 anos)

Estamos na Sarjeta, mas Alguns de Nós Olham as Estrelas (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Perifericu (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Mostra de Longas-metragens, 21h

Vento Seco (Ficção)

Sexta-feira (17/12)

Mostra Cinema de Gênero (Curtas-Metragens), a partir das 17h

Batom Vermelho Sangue (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 16 anos)

Alcatéia (Ficção: 17 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Primavera de Fernanda (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – 10 anos)

Ada (Ficção: 20 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Modelo Vivo, Modelo Morto (Ficção: 25 minutos | Classificação Indicativa – 16 anos)

Mostra Panorama (Curtas-Metragens), a partir das 19h

Marie (Ficção: 25 minutos | Classificação Indicativa – 10 anos)

Homens Invisíveis (Documentários: 25 minutos | Classificação Indicativa – Livre)

Não Me Chame Assim (Ficção: 16 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Haus (Documentário: 18 minutos | Classificação Indicativa – 12 anos)

Apenas O Que Você Precisa Saber Sobre Mim (Ficção: 15 minutos | Classificação Indicativa – 14 anos)

Mostra de Longas-metragens, 21h

Limiar (Ficção)

Sábado (18/12)

Mostra Precursores, a partir das 17h

Homens Pink (Documentário: 52 minutos/ Classificação Indicativa – 12 anos)

Ruth (Documentário: 15 minutos/ Classificação Indicativa – 12 anos)

As Rendas de Dinho (Documentário: 25 minutos/ Classificação Indicativa – 12 anos)

Serviço

O quê: III Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina

Quando: 14 à 18 de dezembro

Onde: Online e Cinema Gilberto Gerlach (Centro Integrado de Cultura – Avenida Governador Irineu Bornhausen, nº 5600, Agronômica, Florianópolis)

Ingressos: https://www.festivaltransforma.com.br/programacao-2021

Quanto: gratuito

Classificação: consultar cada exibição

Mais informações

Instagram: @transformafest

Facebook: facebook.com/transformafest/

Site oficial: www.festivaltransforma.com.br

Portal Catarinas

Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.

Últimas