Nandja Schirlei da Rocha (65123) é candidata indígena Xokleng/Laklano pelo PCdoB de Blumenau/ Imagem: divulgação

“A voz da mulher indígena” Entrevista com Nandja Schirlei da Rocha

Postado em 13/11/2020, 15:11

Às vésperas das eleições municipais, convidamos as candidatas e candidaturas coletivas comprometidas com a pauta dos direitos das mulheres e da igualdade de gênero em Santa Catarina para contarem ao Portal Catarinas sobre suas trajetórias de luta e propostas de campanha.

Por uma perspectiva do feminismo comunitário muitas mulheres indígenas candidatas nas eleições em 2020 trazem a bandeira da descolonização, de uma luta ancestral que antecede a colonização no território, que se apresenta como antirracista e anticapitalista. A representatividade para os povos originários é coletiva, pautada na tradição cultural, na cosmologia e na cosmopolítica de cada povo.

Vamos conhecer a candidata indígena Xokleng/Laklano Nandja Schirlei da Rocha (65123) que concorre à Câmara Municipal de Blumenau (SC) pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

PORTAL CATARINAS – Conte um pouco sobre sua trajetória de vida/militância e quais motivações a levaram a disputar essas eleições.
Nandja Schirlei da Rocha: Sou liderança de uma ocupação chamada aldeia urbana em Blumenau. Minha militância parte da urgência da representatividade indígena nos espaços políticos, sou estudante da Universidade Regional de Blumenau (FURB) e no Instituto Federal Catarinense (IFC). Ocupar esse espaço é abrir caminhos para mais indígenas e nossa emancipação.

PORTAL CATARINAS –  Você tem conseguido verba para a campanha? Como são divididos os fundos eleitoral e partidário entre as candidatas? Você recebeu apoio e recursos do seu partido?
Nandja Schirlei da Rocha: Recebi o valor combinado do fundo partidário, e uma doação.

PORTAL CATARINAS – Quais as principais questões a superar hoje em relação à desigualdade entre homens e mulheres? E quais suas propostas para isso na câmara municipal?
Nandja Schirlei da Rocha: A desigualdade salarial e principalmente as violências precisam ser enfrentadas nos cargos eletivos por quem as vivencia. Não só o machismo, mas também o racismo.

Quero transformar minha cidade em uma terra que acolha, alimente e seja segura para todas. Construindo um mandato junto da população e buscando políticas que contribuam para a emancipação das mulheres.

PORTAL CATARINAS – Quais os principais temas a serem debatidos, hoje, no município para o qual se candidatou vereadora? Quais propostas apresenta para pautá-los?
Nandja Schirlei da Rocha: Hoje é importante combater o conservadorismo na cidade, construir políticas de acesso à moradia e valorização dos artesãos da cidade. Minhas propostas estão no âmbito de fomentar políticas públicas e conquistar um espaço adequado aos artesãos da cidade. Combater o racismo contra os povos originários é minha maior bandeira.

Nandja (65123) é candidata indígena Xokleng/Laklano pelo PCdoB/ Imagem: Divulgação

PORTAL CATARINAS – Como pretende atender as diferentes especificidades das mulheres, contemplando em seus projetos as mulheres negras, indígenas, lésbicas e mulheres trans?
Nandja Schirlei da Rocha: Construir o Conselho da Diversidade para que todas essas pessoas tenham de fato voz na política do município.

PORTAL CATARINAS – Enquanto uma candidata feminista, como pretende atuar de forma a enfrentar os discursos reacionários que não admitem que as mulheres tenham autonomia plena sobre seus corpos, que acreditam na existência de uma “ideologia de gênero” e que comprometem a implementação de políticas públicas, principalmente na área da educação, voltadas a equidade de gênero?
Nandja Schirlei da Rocha: Sou comprometida em enfrentar os discursos reacionários, combater falsas demagogias e moralismos. A inexistente ideologia de gênero deve ser combatida e debatida com a verdade, promovendo educação aos jovens para construirmos uma sociedade segura para todas e todos.

PORTAL CATARINAS – Santa Catarina é o primeiro estado do País em taxa de tentativa de estupro, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020. De acordo com o mesmo relatório, em 2019, o estado ocupou a terceira posição em taxa de lesão corporal dolosa contra mulheres no ambiente doméstico. Como você pretende atuar para a redução da violência contra as mulheres em seu município de SC?
Nandja Schirlei da Rocha: Quero promover esse debate na Câmara de Vereadores e principalmente construir junto das mulheres projetos de lei que tragam segurança para as mulheres. Fortalecer as políticas de atendimento às vítimas, e promover na educação o debate sobre a violência e emancipação dos corpos.

PORTAL CATARINAS – A sua plataforma política prevê o incentivo à participação da sociedade na discussão e elaboração de políticas públicas. De que forma?
Nandja Schirlei da Rocha: Através do Conselho da Diversidade quero incentivar a participação da sociedade civil na construção de leis e fomento de políticas públicas.

PORTAL CATARINAS – De que forma você tem feito sua campanha neste período de pandemia? Que estratégias têm adotado para se comunicar com a sociedade?
Nandja Schirlei da Rocha: Principalmente pela internet e através de indicação da minha campanha entre amigos. Envio meu material de forma segura para as casas e participo de atividades online como lives e debates.

Tags: , , , , , , ,