21 dias de múltiplas vozes que nos diferenciam, mas também nos unem

Postado em 20/11/2019, 11:49

Compreendendo que as violências contra as mulheres não são situações isoladas e perpassam de maneira distinta as múltiplas experiências e vivências de ser mulher em nossa sociedade hoje. Denunciando que a violência de gênero é intimamente articulada com o racismo estrutural, a LGBTfobia, o capacitismo e desigualdades de classe e etnia, oriundas de uma mesma matriz de dominação que orienta as relações de poder configuradas há mais de cinco séculos no Brasil.

E nos somando com as inúmeras ativistas feministas dentro e fora da academia, na rua ou nas instituições, no campo ou na floresta, o Portal Catarinas inicia hoje (20), Dia da Consciência Negra, uma série de publicações em articulação aos 21 dias de ativismo pelo Fim da Violência contra as mulheres. 

Internacionalmente, as mobilizações começam na próxima semana, no dia 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres. A data foi instituída em memória das irmãs Mirabal, três ativistas políticas assassinadas pelo ditador Rafael Leónidas Trujillo, em 1960, na República Dominicana.

Cerca de 130 países se articulam durante 16 dias na campanha de denúncia sobre a violência física, psicológica, sexual e patrimonial sistêmica que afeta as mulheres ao redor do mundo, nos mais variados contextos e momentos. 

No Brasil, um país em que o racismo e o sexismo estão profundamente imbricados, dados recentes alertam ainda mais que a luta deve tornar indissociáveis as questões de gênero e raça. Segundo o Atlas da Violência de 2019, 66% das mulheres assassinadas no País são negras, demonstrando um crescimento expressivo da violência em contexto doméstico.

São elas também diretamente afetadas pelo genocídio dos jovens negros no Brasil, o encarceramento da população negra e a perseguição ou omissão institucional. Esse cenário, no país com maior população negra fora do continente africano, leva a uma ampliação da campanha de ativismo, tendo como ponto de partida o Dia da Consciência Negra.

O Catarinas colocará em circulação até o dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, múltiplas perspectivas de mulheres, que refletem, complexificam e potencializam a discussão sobre a violência que afeta tantas mulheres e meninas, construindo saberes a partir de seus cotidianos de trabalho, militância e resistências, nas diferentes áreas de atuação em que estão inseridas.

Serão 21 dias de aprendizado para todas nós, juntas em aliança, que acreditam no potencial transformador das múltiplas vozes que não apenas nos diferenciam, mas também nos unem. 

 




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas