Gênero sob ataque estreia nesta terça-feira (12), na Fundação Cultural Badesc/Imagem: divulgação

Portal Catarinas lança documentário “Gênero sob ataque” em Florianópolis

Postado em 11/03/2019, 13:48

“Há um movimento global, muito bem articulado, e que agora tem pontos focais em países estratégicos”, explica Beatriz Galli, assessora de políticas para a América Latina do Ipas, sobre o ataque aos estudos e ativismos de gênero e feministas na América Latina. Esse movimento se caracteriza fundamentalmente pelo rechaço e perseguição ao matrimônio igualitário, ao formato de família que foge à normativa heterossexual, ao direito ao aborto, e à equidade entre homens e mulheres.

“Esse é o ponto de comunhão entre dois inimigos históricos”, explica a teóloga Katia Isabel Castro, referindo-se às igrejas Católica e evangélicas. Essas e outras entrevistas que abordam o contexto político de cerceamento das liberdades e do exercício pleno de uma sexualidade sadia, prazerosa e responsável, integram o documentário peruano “Gênero sob Ataque”, que estreia em Florianópolis, nesta terça-feira (12), às 19h, na Fundação Cultural Badesc. Realizado pelo Portal Catarinas, o evento é gratuito e faz parte da programação oficial do 8M SC, construção Florianópolis.

Após a exibição haverá um debate com Marlene de Fáveri, historiadora e professora da UDESC, Mariana Franco, vice-presidenta da União Nacional LGBT (UNA) de Santa Catarina, Sônia Alvarez, cientista Política e professora da Universidade de Massachusetts. Cauane Maia, integrante do Cores de Aidê e Portal Catarinas, doutoranda em antropologia social pela UFSC, será a mediadora das discussões.

Acesse o trailer:

 

 

O documentário
“Gênero sob Ataque”, dirigido pelo jornalista peruano Jerónimo Centurión Aguirre, aborda o avanço do conservadorismo em países como Peru, Colômbia, Costa Rica e Brasil. Quatro países onde a conjuntura política, os processos eleitorais, as reformas nos currículos escolares e até mesmo um referendo pela paz se tornaram cenários onde esses movimentos impuseram lemas de ódio e discriminação, com argumentos falaciosos, carentes de qualquer evidência, responsáveis por semear medo e desconfiança.

Produzido pelo Clacai (Consórcio Latino Americano Contra o Aborto Inseguro), o filme documenta campanhas anti-gênero, analisando as suas origens, atores nelas envolvidos e efeitos, não apenas sobre direitos reprodutivos, direitos das pessoas LGBT e educação sexual, mas também sobre processos políticos de amplo alcance.

O documentário procura informar e alertar o público em geral sobre o alcance territorial, político e ideológico por detrás do movimento Com Meus Filhos Não Te Metas, e Escola Sem Partido no caso do Brasil, bem como os atores que operam essa corrente conservadora que atua na região latino-americana. Promove um debate sobre as consequências na vida das pessoas, contribuindo para desmistificar os conceitos mais utilizados e distorcidos por esse movimento.

Paula Guimarães, cofundadora do Portal Catarinas, é uma das entrevistadas no documentário. Ela participou da iniciativa em 2018, quando apresentou sua pesquisa e reportagem sobre criminalização de mulheres por aborto no Brasil, no Encontro de Comunicação do Caclai, realizado no México.

 

 

 

 

 




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas