Publicação das trabalhadoras do Judiciário terá glossário feminista feito em parceria com o Portal Catarinas/Arte: Manu Cunhas

Glossário feminista em parceria com Catarinas é destaque da Revista Valente

Postado em 12/03/2019, 14:32

A terceira edição da revista Valente, publicação das trabalhadoras do Judiciário catarinense será lançada nesta quinta-feira, 14 de março, na sede do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina (Sinjusc). No evento, que começará às 19h, será realizada uma performance com a Coordenadora do Fórum da Mulher Negra Sideropolitana, Giselle Marques, seguida de uma roda de conversa com a dirigente sindical do Sindijus-PR, Adreia Ferreira. O lançamento contará ainda com uma exposição de ilustradoras mulheres.

Esta edição da Velente abordará entre os seus textos os casos de assédio sexual no trabalho, a superação do preconceito por mulheres cafeicultoras e os coletivos que fortalecem a luta das mulheres e do servidor público. Em parceira com o Portal Catarinas, foi elaborado um Glossário Feminista destacável dentro da revista. O encarte é composto por oito verbetes escolhidos por sua atualidade e importância para o debate feminista. São eles: gênero, sexualidade, feminismos, lugar de fala; empoderamento; interseccionalidade; heteronormatividade; e Dia Internacional das Mulheres. Após o lançamento da revista, o glossário será publicado no Portal Catarinas para acesso das leitoras.

“O material foi construído a partir das referências que foram consideradas pontos de partida para a compreensão das temáticas de gênero e do pensamento feminista, sabendo que qualquer definição não se esgota quando da sua formulação, estando sempre aberta para novas possibilidades de reflexão. A definição dos verbetes, muitos deles propostas conceituais densas, teve como objetivo apresentar resumidamente alguns elementos que compõem a discussão atual sobre as temáticas”, afirma Jessica Gustafson, integrante do Catarinas e coordenadora do Glossário.

Arte: Manu Cunhas

De acordo com a vice-presidente do Sinjusc, Valfrida de Oliveira, mais de  70% da categoria do Judiciário catarinense é composto por mulheres. Assim, em  2017, foi realizado o primeiro encontro com as trabalhadoras e durante as palestras e debates surgiu a ideia de construir esta publicação e formar coletivos de mulheres do Judiciário em diversas partes do Estado.

“A partir da primeira publicação, o movimento criou corpo e nós começamos a ver o feminismo de uma forma mais profunda, formando os coletivos, o primeiro deles em Porto Belo, depois Blumenau e Concórdia. Esses coletivos tiveram a participação maciça de servidoras do Judiciário, mas também contamos com a comunidade de maneira geral, realizando debates e conversas”, relata a diretora.

Para Valfrida, a revista tem estimulado debates dentro da categoria, com o intuito de refletir sobre o cotidiano das trabalhadoras assim como sobre a própria composição e organização do Sinjusc. “Essa questão das mulheres faz parte de um debate dentro do sindicato. Temos conversado bastante porque isso entra na questão da dupla, tripla, quádrupla jornada de trabalho que nós mulheres temos, aliado ao fato de que muitas de nós somos vistas como cuidadoras e isso pesa muito no momento da mulher entrar numa direção e se dedicar a esse trabalho”.

Com intuito de democratizar o projeto, todas as trabalhadoras do Judiciário, ativas e aposentadas, desembargadoras, juízas, defensoras públicas, delegadas, entre outros cargos, são convidadas a colaborar com as edições da revista, encaminhando artigos, crônicas, poemas, fotos e afins para publicação. Os conteúdos partem de uma perspectiva feminina de direitos, no combate aos retrocessos e na luta pela igualdade de gênero. Todos os textos são produzidos por mulheres e as principais ilustrações também.

Segundo a vice-presidente, os encontros organizados pelos coletivos, assim como as temáticas trazidas pela revista Valente estão “fazendo com que nossas colegas se reconheçam como parte integrante das lutas sindicais, sociais e  feministas e que venham somar. Nós temos que estar unidas, temos que estar juntas, porque não sabemos quem vai ser a próxima vítima dessas atrocidades que estamos vendo”.

O Sinjusc está localizado à Avenida Mauro Ramos, 448, no centro de Florianópolis.




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas