Camila Fernandes, antropóloga e pesquisadora, pós-doc do NUSSEX/PPGAS/MN/UFRJ, é a entrevistada deste episódio/Foto: arquivo pessoal

Quarentenas discute as relações entre o Estado, maternidades e redes de cuidado

Postado em 30/09/2020, 15:59

Está no ar o terceiro episódio do podcast “Quarentenas: gênero, sexualidade e feminismos em tempos de pandemia”, projeto da Rede Fluminense de Núcleos de Pesquisa de Gênero, Sexualidade e Feminismos nas Ciências Sociais (Redegen). O programa é um canal de divulgação científica e seus episódios estão disponíveis no Soundcloud, Spotify e no site da rede.

Neste terceiro episódio, contamos com a participação da antropóloga e professora Laura Lowenkron (CLAM/IMS/UERJ), que entrevista a antropóloga e pesquisadora Camila Fernandes, pós-doc do NUSSEX/PPGAS/MN/UFRJ. A experiência da pandemia atingiu o coração de um sistema econômico baseado na exploração das atividades de cuidados. Essas são atividades feitas majoritariamente por mulheres pobres, negras e periféricas que foram impactadas com a suspensão dos principais circuitos de cuidados que podiam contar: enfrentam a falta da creche pública, da escola, bem como a fragilização das redes informais de atenção às crianças, a exemplo das casas de “tomar conta” nas favelas que foram drasticamente atingidas.

Essa mudança expõe processos de reprodução estratificada das desigualdades com toda a sua força e nos convoca a discutir os efeitos do isolamento social para grupos que historicamente são os principais provedores de cuidados dos outros: mulheres, mães solteiras, babás, empregadas domésticas, trabalhadoras do setor de serviços e moradoras de periferias.

O programa propõe uma conversa sobre maternidades, trabalho de cuidado e quarentena, procurando tensionar os desafios da construção de uma pauta interseccional sobre o cuidado das crianças que considere diferentes reivindicações políticas em torno da maternidade, da reprodução, do cuidado e dos direitos sociais.

O podcast “Quarentenas” traz entrevistas e conversas com pesquisadoras/es, ativistas para tratar dos dilemas mais urgentes da nossa contemporaneidade e será divulgado mensalmente no Portal Catarinas. Plural por definição, “Quarentenas” espelha as múltiplas faces do cenário pandêmico atual, atravessado por diferenças e desigualdades interseccionadas.

A Redegen é composta por: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM), Grupo de Estudos sobre Família Contemporânea (GREFAC), Laboratório de Estudos de Gênero e Interseccionalidade (LABGEN), Núcleo de Estudos em Corpos, Gêneros e Sexualidades (NUSEX), Núcleo Interdisciplinar de Mulheres, Movimentos, Instituições e Normatividades (NIMMIN), Núcleo de Estudos em Desigualdades Contemporâneas e Relações de Gênero (NUDERG) e Núcleo de Estudos de Sexualidade e Gênero (NESEG). A rede tem a coordenação geral de Aparecida Fonseca Moraes (NESEG/PPGSA) e San Romanelli Assumpção (NIMMIN/IESP); a coordenação de comunicação de Verônica Toste (LABGEN/UFF) e a secretaria executiva de Carla de Castro Gomes (PAGU/Unicamp e NESEG/PPGSA) e de Madalena Gonçalves (NIMMIN/IESP).

Serviço:
Disponível nas plataformas Spotify e Soundcloud
Quarentenas tem a direção e edição da jornalista Renata Rodrigues. A música de abertura é uma composição de Leandro Braga, também ao piano.

Quarentenas: um podcast de divulgação científica sobre gênero e feminismos

 




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas