Uma sessão inteira pensada por mulheres integra o polo SC, em Florianópolis/Foto: Cris Odara

“Mulher artista resiste” no polo SC da Bienal de Arte Contemporânea de Curitiba

Postado em 09/08/2019, 22:41

Fotografias, shows e performances são algumas das atrações que compõem o evento Mulher Artista Resiste, parte da programação da 14 Bienal de Arte Contemporânea Internacional de Curitiba que acontece até dezembro em 27 cidades de 11 países da América do Sul e Europa e contará com 23 exposições coletivas e individuais. Desde o mês passado, oito espaços expositivos recebem atrações em Florianópolis, no polo SC. No país, além de Curitiba e Florianópolis outras seis cidades se integram à bienal. 

Durante todo o mês de agosto, o público poderá aproveitar as 19 ações que estão dentro do Mulher Artista Resiste que acontece no Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza, em Sambaqui. Idealizada por mulheres engajadas em dar visibilidade a produções artísticas femininas, a sessão é dedicada a instigar e expor o que historicamente os livros e os arquivos apagaram.

Foto: Tainá Bernard

O cruzamento de distintas linguagens das artes visuais, artes cênicas, dança, música e literatura se unem e mostram a relevância do evento como espaço de representatividade para as artistas mulheres, assim como, pelo encontro de várias manifestações culturais.

“Uma produção de pura potência, realizada por mulheres de diferentes áreas que pretendem falar de arte, mas também pensar a amplitude de nossos espaços e discutir sobre as políticas públicas para mulheres”, explica Juliana Crispe, uma das curadoras que em parceria com Francine Goudel e Sandra Makowiecky pensaram e produziram a sessão. As curadoras são, ainda, responsáveis pela organização da bienal no estado. 

Trabalhando há doze anos como curadora Juliana Crispe já realizou mais de 60 projetos curatoriais. Neste ano ela foi a ganhadora do prêmio Jovens Curadores da Bienal de Curitiba 2019, por sua trajetória como pesquisadora e pelos projetos que já realizou. Ao falar sobre a premiação, ela ressalta que o prêmio potencializa o que é produzido no estado em contexto nacional e internacional.

“Vejo isso como desdobramento de um trabalho que já faço há muitos anos, sempre agregando essa coletividade à arte. De dar voz a um maior número possível de artistas de distintas gerações”, complementa. 

A curadora Juliana Crispe recebeu o prêmio Jovens Curadores da Bienal de Curitiba 2019/Foto: Tainá Bernard

O evento foi pensado em alinhamento com o tema da bienal 2019, “Fronteiras em Aberto”, pela concepção de Adolfo Montejo e Tereza de Arruda. A proposta é abrir fronteiras geográficas conectando produções artísticas de vários países, com a ideia de projeção territoriais-culturais.


“Aquilo que é produzido por mulheres pode romper fronteiras de linguagens”, afirma Crispe ao explicar a ligação do Mulher Artista Resiste ao tema. 

No domingo (4), a programação transitou entre a apresentação da Dj Lê Bafão, banda La Leuca e a banda curitibana Mulamba, seguida pela performance “Grassa Crua” da artista paranaense Fernanda Magalhães e depois da abertura da exposição fotográfica “Ilhas de Força”, de Luciana Petrelli.

Parceria da artista com as integrantes da banda Mulamba, as fotografias foram produzidas em uma pedreira próximo a Curitiba em 2017. “Como eu venho da área de fotografia contemporânea a minha ideia foi criar para elas um conceito de imagem que tivesse a ver com a força do grupo. É um grupo de mulheres que são ativistas na questão da feminilidade do feminismo e da força e garra da mulher nesse contexto contemporâneo que estamos”, explica Petrelli. 

Foto: Cris Odara

O convite para participar do evento fez com que a artista continuasse o projeto com o grupo. Assim, ela produziu mais dois vídeos que foram gravados em Florianópolis em parceria com Sitio Arte e Tecnologia. “O coletivo Armazém reúne um conceito bastante amplo sobre essa questão Mulher Artista Resiste. É fundamental que esse projeto tenha sido criado e se mantenha para frente, porque a resistência cria diversas formas de você se recolocar no mundo com atitudes cada vez mais consciente  e presentes”, finaliza a artista. 

Os espaços culturais de Florianópolis sede da Bienal são o Museu de Arte de Santa Catarina – MASC, Museu da Escola Catarinense – MESC, Fundação Cultural Badesc, Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, Memorial Meyer Filho, Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza, O Sítio e NaCasa – Coletivo Artístico.

O Portal Catarinas apoia a Bienal ao lado de outras organizações, coletivos e órgãos públicos. São apoiadoras/es: Abrasabarca, ADOSC, ARQ/SC, Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, ER, Fatto a Femme, Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Fundação Cultural Badesc, Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, Gika Voigt produção, Guerrilha Produtora, La Kahlo Bodega, Memorial Meyer Filho, Museu da Escola Catarinense, Museu de Arte de Santa Catarina, NaCasa – Coletivo Artístico, O Sítio, Prefeitura Municipal de Florianópolis e UDESC.

Foto: Cris Odara

Armazém Coletivo Elza

O espaço cultural foi criado em 2016 da união de um coletivo de mulheres de diferentes profissões. Artistas visuais, gestoras, educadoras, psicólogas, doulas, advogadas e propositoras fazem parte da equipe que fundou e contribui para manter o lugar. O ambiente serve como uma plataforma propulsora de ações para a ampliação do acesso da comunidade à cultura local, assim, produzindo visibilidade aos artistas catarinenses, principalmente mulheres e crianças e também para abrigar as mulheres do Coletivo Elza.

Nos três anos de funcionamento, o Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza já reuniu exposições, eventos artísticos, apresentações de música, cinema, rodas de conversas, encontros, bazares, oficinas artísticas e de apoio social, entre outras atividades.

“O Espaço Cultural Armazém é para o Coletivo Elza, ao mesmo tempo, local de trabalho, encontro, reuniões, proposições artísticas, feministas e sociais, berço de ideias e projetos emancipadores, espaço de troca social, local de encontros”, acrescenta Juliana Crispe, uma das fundadoras e também curadora do Polo – SC da Bienal.

Foto: Cris Odara

Programação em Florianópolis – Polo SC

 

MUSEU DE ARTE DE SANTA CATARINA – MASC

—— SETEMBRO ——

28 de setembro a 1 de dezembro

Abertura: 28 de setembro às 17h

/// Exposição “Fronteiras em Aberto”, coletiva de artistas de Santa Catarina

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

/// Exposição “Fardo” de Diego de Los Campos

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

/// Exposição “Depoisantes” de Fernando Lindote

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

/// Exposição “Des-tempo” de Meg Tomio Roussenq

Curadoria de Juliana Crispe. Diálogos com o acervo. Fronteiras Colaborativas

| MUSEU DA ESCOLA CATARINENSE – MESC

——  OUTUBRO ——

10 de outubro a 14 de dezembro

Abertura: 10 de outubro às 19h

/// Exposição “Rudis Materia” de Marilyn Green, Susan Mckinley, Peter Lindenberg,

Dagmar Diekmann, Yara Guasque, Rubens Oestroem, Sandra Favero, Juliana

Hoffmann e Tom Drake Bennett

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

|FUNDAÇÃO CULTURAL BADESC

——  AGOSTO ——

31 de agosto a 3 de outubro

Abertura: 31 de agosto às 14h

Espaço Fernando Beck

/// Exposição “Índice” de Sérgio Adriano H

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

31 de agosto a 3 de outubro

Abertura: 31 de agosto às 14h

Espaço Paulo Gaiad

/// Exposição “Inventário” de Beatriz Rodrigues

Curadoria de Gustavo Reginato. Fronteiras Colaborativas

| GALERIA MUNICIPAL DE ARTE PEDRO PAULO VECCHIETTI

 ——  AGOSTO ——

16 a 30 de agosto

Abertura: 16 de agosto às 19h

/// Exposição “Extravios” de Lela Martorano

Curadoria Francine Goudel. Fronteiras Colaborativas

——  OUTUBRO ——

1 a 27 de outubro

Abertura: 1 de outubro às 19h

/// Exposição “Panorâmicas do desejo” de Ana Sabiá

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

——  NOVEMBRO ——

1 a 29 de novembro

Abertura: 1 de novembro às 19h

/// Exposição “Projeto Gurbah” de Adel Alloush, Silvana Macêdo e Yara Osman

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

| MEMORIAL MEYER FILHO

 ——  OUTUBRO ——

1 a 27 de outubro

Abertura: 1 de outubro às 19h

/// Exposição “Florestas” de Juliana Hoffmann

Curadoria de Juliana Crispe

——  NOVEMBRO ——

1 de novembro a 29 de novembro

Abertura: 1 de novembro às 19h

/// Exposição “Idílios Cósmicos” de Meyer Filho e Kelly Kreis

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

| O SÍTIO

——  OUTUBRO ——

17 de outubro a 9 de novembro

Abertura: 17 de outubro às 19h

/// Exposição “Intersecções com a Paisagem”,  coletiva de vídeo-arte

Curadoria de Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky

| NACASA – COLETIVO ARTÍSTICO

——  SETEMBRO ——

13 de setembro a 1 de outubro

Abertura: 13 de setembro às 19h

/// Exposição “CONVERS[A]TIVA” de Priscila Costa Oliveira . Fronteiras

Colaborativas

——  NOVEMBRO ——

8 a 25 de novembro

Abertura: 8 de novembro às 19h

/// Exposição “A noção de um todo construído em partes” de Matheus Abel

Curadoria de Juliana Crispe. Fronteiras Colaborativas

| ESPAÇO CULTURAL ARMAZÉM – COLETIVO ELZA

——  AGOSTO ——

MULHER ARTISTA RESISTE (3 a 31 de agosto)

*Evento com algumas atrações pagas

3 de agosto

Ingressos: www.sympla.com.br

20h30 – Liniker e os Caramelows apresentam

“Goela Abaixo” – Centro Integrado de Cultura.

Produção: Guerrilha Produtora. Fronteiras Colaborativas

4 de agosto

Entrada com ingresso das 13h30 às 15h. Entrada Gratuita após às 17h.

Ingressos: www.sympla.com.br

14h30 – DJ Lê Bafão

15h – La Leuca

16h – MULAMBA

17h – Performance “Grassa Crua” de Fernanda Magalhães

18h – Abertura da Exposição “Ilhas de Força” de Luciana Petrelli

Curadoria de Juliana Crispe. (Exposição de 4 a 31 de agosto)

10 de agosto

(Entrada gratuita)

15h – Apresentação Literária do coletivo de mulheres Abrasabarca

17h – Cores de Aidê – Ensaio aberto

18 de agosto

(Entrada gratuita)

11h às 19h – Fatto a Femme – Feira de mulheres

11h  – Abertura da feira com DJ Carol Chiquetti

13h – Coletivo NEGA – “Projeto Musicado”

13h30 – Kia Sajo – “Olho de Tigre”

15h às 17h – Roda de conversas “Mulheres na construção de políticas públicas –desafio e perspectivas”, com Roseli Pereira (Coordenadora da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres e Superintendente da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes), Virginia Vianna (Doula, Psicóloga e Diretora de Comunicação da Associação de Doulas de Santa Catarina – ADOSC), Marília Amaral (Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa MARGENS/UFSC – modos de vida, família e relações de gênero; Coordenadora do Serviço de Psicologia da ONG ADEH), Ale Mujica Rodríguez (Graduada em Medicina pela UNAB, Colômbia, Doutora em Saúde Coletiva pela UFSC, trabalha questões de gênero, saúde e políticas pública) e Carmen Lúcia Luiz (Saúde da Mulher).

17h – Dandara Manoela – voz e violão.

19h – Encerramento da feira

24 de agosto

(Entrada Gratuita)

15h – Apresentação da performance “Medusa Enredada: como lembrar?… Mas… como

esquecer?”de Camila Durães

17h – Apresentação da performance “Carta para Nina Simone” de Ida Mara Freire

25 de agosto

Entrada com ingresso das 14h às 15h. Ingressos: www.sympla.com.br

> No dia verifique vagas pelo telefone 48 99924.7772

10h às 12h – Roda de Conversa: auto-gestão de Carreira musical, para mulheres artistas

e produtoras com Gika Voigt Produz

15h às 18h – Oficina Alma na Voz e Mãos no Tambor, com Ana Paula da Silva

(Cantora, compositora e pesquisadora de Cultura Popular)

18h às 21h – Jam-Feminina: música e feminismos (Aberta a mulheres cantoras,

instrumentistas, compositores, intérpretes, bandas, duos, trios, solos)

26 a 30 de agosto

(Entrada gratuita)

Residência ECO+SISTEMAS+POÉTICOS de Lilian Amaral (Doutora e Mestre em

Artes pela USP e Universidade Complutense de Madrid. Artista Visual, Curadora e

Pesquisadora – DIVERSITAS USP)

– 26 (segunda) 14h às 17h – Situação 1: Primeiro encontro e deslocamento de campo

– 27 (terça) 9h às 12h – Situ-ação 2: Encontro e deslocamento de campo

– 27 (terça) 14h às 17h – Situ-ação 3: Encontro e deslocamento de campo |Residência

em Rede: encontro virtual com coletivos de pesquisa Brasil e Espanha.

– 28 (quarta) 14h às 17 h – Situ-ação 4: Último encontro e deslocamento de campo |

Residência em Rede: encontro virtual com coletivos de pesquisa Brasil e Espanha.

– 30 (sexta) 19h – MÚLTIPLAS – Mostra coletiva de audiovisual, curadoria Lilian

Amaral

—— SETEMBRO ——

7 a 27 de setembro

Abertura: 7 de setembro às 17h

Exposição “Rio engano” de Helder Martinovsky e Raquel Stolf . Fronteiras

Colaborativas

—— OUTUBRO ——

5 a 25 de outubro

Abertura: 5 de outubro às 17h

/// Exposição “almacorpoterramar” de Franzoi

Curadoria de Juliana Crispe

—— NOVEMBRO ——

3 a 29 de novembro

Abertura: 3 de novembro às 17h

/// Exposição “Des(e)poemas” de Carlos Asp

Curadoria de Francine Goudel e Juliana Crispe

—— DEZEMBRO ——

7 a 30 de dezembro

Abertura: 7 de dezembro às 17h
/// Exposição “Cosmografias Atemporais” de Amanda Melo.

Curadoria de Juliana Crispe

 

 

*Emily Leão é estudante de Jornalismo da UFSC, estagiária do Portal Catarinas por meio de um convênio com a universidade.