Conceição Evaristo, Tainá de Paula, Juma Xipaia e Linn da Quebrada participam do Festival WOW Rio 2020/Imagem: Mosaico Catarinas

Festival Mulheres do Mundo debate desafios e conquistas em tempos de pandemia

Postado em 19/11/2020, 13:31

Edição online do Festival WOW Rio 2020, que acontece em 21 de novembro, debate o protagonismo feminino por meio da diversidade de vozes.

Conceição Evaristo, Eliane Brum, Taís Araújo, Juma Xipaia e Tainá de Paula, entre outras pensadoras e ativistas da atualidade, são presenças confirmadas no Festival Mulheres do Mundo – WOW Rio, que acontece no próximo sábado (21), das 9h às 22h. A edição online do festival conta também com shows de Linn da Quebrada e Josyara, performance de MC Martina e exibição de curtas-metragens. Serão 12 horas ininterruptas e gratuitas de programação com temas que abordam questões sociais, ambientais, culturais, étnico-raciais e de gênero. 

Organizado pela Fundação WOW, de Londres, e pela organização Redes da Maré, o Festival foi adaptado para o formato online, sem perder as características originais e reunindo pensadoras e ativistas do Brasil e do mundo em torno de temas fundamentais e atuais.

Sucesso de público e com participação de centenas de ativistas e pensadoras feministas, o Festival Mulheres do Mundo – WOW Rio chegou ao Brasil em 2018, em um grande evento na Praça Mauá, no Rio de Janeiro. O evento, que é gratuito, será transmitido pelo canal do YouTube e Facebook do WOW Rio.

Desigualdades de gênero e raça escancaradas pela pandemia, violências, identidade, ancestralidade, compartilhamento de saberes, representatividade na política, ocupação de espaços públicos e privados, redes de cuidado, acesso à cultura e à tecnologia, questões ambientais, liderança feminina. Diferentes temas, diferentes vozes, um objetivo: pautar e discutir o protagonismo feminino no mundo atual, com seus desafios e contradições, mas também celebrando avanços e conquistas das últimas décadas.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL MULHERES DO MUNDO WOW RIO ONLINE 2020

9 horas – Abertura com Jude Kelly e Eliana Sousa Silva
Para dar início às 12 horas de programação, Jude Kelly e Eliana Sousa Silva, curadoras do Festival WOW Rio, fazem um panorama do movimento WOW ao redor do mundo.

9h20 – Bate papo entre Taís Araújo e Eliana Sousa Silva
A atriz, apresentadora e jornalista Taís Araújo entrevista Eliana Sousa Silva, ativista, educadora, diretora da Redes da Maré e curadora do WOW Rio. Neste encontro, elas falam sobre desafios impostos pela pandemia, desigualdade social no Brasil, educação, cultura e a importância de redes de apoio.

10 horas – Performance com MC Martina
Em um projeto audiovisual inédito, a reflexão sobre os desafios de ser uma mulher MC nos tempos atuais e o resgate de sua ancestralidade em forma de poesia. Com participação especial de Geralda Martina, avó e matriarca da família da MC Martina.

10h30 – Território de partilha: Experiências comunitárias de feminismos no Brasil e na Bolívia com Julieta Paredes e Andreza Jorge
Para mobilizar questões cruciais para a vida das mulheres e de suas comunidades, as convidadas pensam as lutas daquelas que vieram antes delas e os caminhos que percorreram e ainda percorrem em seus próprios territórios. Neste encontro, diferenças e afinidades serão partilhadas por Andreza e Julieta, vozes ativas do feminismo e do pensar comunitário na América Latina, a partir de suas experiências no Brasil e na Bolívia.

11h30 – Curta Metragem Motriz
Dirigido pela cineasta Taís Amordivino, Motriz costura pautas que atravessam as vivências de mulheres negras: solidão, amor e afetividade. A obra conta a história de Bete, uma mulher que convive com a distância da filha. Apesar disso, mãe e filha encontram no amor a força motriz que as aproxima.

11h45 – Roda de Conversa com WOWzeiras e Tais Amordivino
Após a exibição do curtametragem, o grupo de pesquisa de jovens mareenses conversa com a diretora e roteirista Taís Amordivino. 12h30 – Territórios de Partilha: Branquitude, gêneros e identidades étnico-raciais com Geni Nuñez, Tatiana Nascimento e Obirin Odara. Quando Geni Núñez põe à prova os limites e os contornos do gênero e Tatiana Nascimento traz a branquitude para o debate racial, que possibilidades de mundo elas fazem surgir? Neste encontro, mediado pelo olhar de Obirin Odara, elas pensam estratégias para pôr à prova o colonial que persiste nos modos de pensar e viver as identidades.

13h30 – Oficina de Pensamento Computacional com Nina da Hora
Na oficina “Introdução ao Pensamento Computacional”, compartilhamento e desconstrução de conceitos do pensamento computacional e sua intervenção na sociedade digital: será que na ciência da computação só existe programação?

14h30 – Poesia com Ryane Leão e Dall Farra A poesia nascida de duas mulheres pretas convida a escutar silêncios para entender se é hora de erguer a voz. A palavra convida a estar viva, convida a ser movimento mas também convida a esticar o corpo cansado e deixar que ele recupere um pouco de tempo/descanso. Aqui falam duas mulheres cujos nomes são grifados em outro mundo, duas mulheres que só são se outras forem junto, duas mulheres escritas pela poesia.

14h45 – Vídeo Mulheres Negras Decidem
O Mulheres Negras Decidem qualifica e promove a agenda liderada por mulheres negras na política institucional e apresenta um panorama comparativo entre a última eleição municipal em 2016 e a atual, em 2020.

15 horas – Territórios de Partilha: Política cotidiana e institucional pelo direito à cidade com Thaís Ferreira, Benny Briolly e Tainá de Paula
Benny. Thais e Tainá partilham de experiências comuns mas não iguais: elas são, cada uma a seu modo, mulheres negras, crias da periferia e que se engajam na política cotidiana e institucional para transformar as comunidades em que vivem. E é entre aproximações e distanciamentos que veremos diferentes formas de tratar questões como o direito à cidade e a experiência periférica, a violência policial e os caminhos para a realização de políticas que efetivamente transformem a vida dessas populações.

16 horas – Performance com as atrizes Mariana Lima e Jaqueline Andrade direção: Cris Moura
“Corpo casa – experimento de convivência a distância” é um experimento, uma performance, um encontro. Um experimento de convivência à distância, entre três artistas mulheres, que de suas casas se aproximam das intimidades e reflexões sobre o corpo, o território, o dentro e fora das atrizes.

16h15 – Territórios de Partilha: Amazônia e outros modos de habitar a terra com Juma Xipaia e Eliane Brum
A longa trajetória de luta pela defesa da Amazônia e de enfrentamento direto a grandes corporações – como as envolvidas na construção da Usina de Belo Monte – colocam Juma Xipaia como uma das importantes lideranças indígenas que articulam seus saberes, estratégias e modos de vida para conter e reverter os processos já tão avançados de destruição da natureza e de seu povo. Neste encontro, Eliane Brum, que acompanha e partilha dessas lutas há algum tempo, conduz a conversa, nos propondo outras maneiras de habitar a Terra.

17h30 – Show – Josyara
Cantora e compositora baiana, Josyara apresenta show em formato voz e violão com repertório que passeia pelas músicas do seu segundo elogiado disco, Mansa Fúria. O disco traz um retrato da cantora, compositora e violonista baiana em seu percurso sertão/litoral/metrópole. Nascida em Juazeiro, interior da Bahia, Josyara traz em suas composições um olhar sensível sobre seu cotidiano e sua história, embaladas por um violão percussivo e potente.

18 horas – Territórios de Partilha: Que relações podem ser tecidas entre o “fim do mundo como o conhecemos”, e as políticas de restituição étnico-racial e de gênero? Com Denise Ferreira da Silva e Fátima Lima Que relações podem ser tecidas entre o “fim do mundo como o conhecemos”, como sugere Denise Ferreira da Silva e as políticas de restituição étnico-racial e de gênero reivindicadas por Fátima Lima? Em um contexto onde a violência não cessa, esta conversa parte da urgência por questionar os termos do que compreendemos por futuro e como pensar alternativas ao mundo como está.

19 horas – Territórios de Partilha: Como as poéticas negras, trans e de mulheres podem criar mundos que não cabem em uma perspectiva binária com Conceição Evaristo e Jota Mombaça Se no romance de Conceição Evaristo, Ponciá Vicêncio era capaz de habitar um corpo que chorava e ria ao mesmo tempo, nesta conversa a experiência de habitar uma fenda dentro e fora de si será experimentada como ponto de partida. A multiartista Jota Mombaça com sua trajetória transdisciplinar se encontra com a escritora, ensaísta e professora Conceição Evaristo para pensar como as poéticas negras, trans e de mulheres podem criar mundos que não cabem em uma perspectiva binária.

20 horas – Show – Linn da Quebrada
A cantora, atriz, roteirista e apresentadora Linn da Quebrada apresenta Acusticuzinho, um show em formato super especial para fechar a noite do Festival WOW Rio online 2020.

Serviço:
Festival Mulheres do Mundo – WOW Rio online 2020 Data: 21 de novembro de 2020 Hora: a partir das 9 horas Onde: www.youtube.com/c/festivalmulheresdomundowow https://web.facebook.com/festivalwowrio




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas