Em alusão ao Dia dos Professores, o Portal Catarinas lança a cartilha “Como defender-se das censuras ao debate de gênero, sexualidade e raça nas escolas?”, em 20 de outubro, quinta-feira, às 19h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). A publicação faz parte do especial Gênero na Escola, desenvolvido pelo Portal em parceria com o Synergía – Iniciativas para os Direitos Humanos, que consiste em uma ação estratégica em defesa de uma educação que promova a igualdade de direitos e combata qualquer forma de discriminação.

convite_lançamento_cartilha_gênero_na_escola_synergia
Arte: Rafaela Coelho.

O projeto tem como objetivo subsidiar professoras/es e instituições de ensino com ferramentas e informações que possibilitem o conhecimento e a apropriação da base jurídica brasileira, que defende a liberdade de ensino, o pluralismo de ideias e a liberdade de aprender e ensinar. “A publicação destaca legislações correlatas, como também ações fundamentais para a reação de professoras/as que são alvos de ataques moralistas, sem base legal”, afirma a jornalista Paula Guimarães, diretora executiva do Catarinas. Após o lançamento, a cartilha será disponibilizada para download no site e distribuída para o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte-SC).

“Os ataques aos temas da sexualidade, às questões que envolvem as identidades e equidade de gênero e às reflexões sobre igualdade racial têm sido a tônica de uma política do medo e do pânico moral, que servem para desinformar a população, interditar debates de interesse público, produzir censura e perseguição aos profissionais da educação. Para contrapor a perseguições de cunho autoritário, nossas grandes aliadas são as leis garantidoras do exercício do pensamento crítico e do acesso à informação, assim como a legislação penal para punir práticas discriminatórias”, garante a diretora executiva. 

Gênero na Escola vem sendo produzido desde o ínicio do ano. Em agosto, foram publicadas três reportagens aprofundadas sobre o tema, assim como um vídeo didático explicando a inconstitucionalidade das perseguições e as estratégias de defesa caso um docente sofra alguma forma de cerceamento. Ainda neste mês estão previstas uma live nas redes sociais do Catarinas e uma roda de conversa em uma escola da rede estadual da educação, que serão divulgadas em breve. 

O evento de lançamento da publicação contará com a presença e fala de Luciane Carminatti, deputada estadual pelo Partido dos Trabalhadores; Luiz Carlos Vieira, representante do Sinte-SC; Elaine Sallas, representante do Sinte Regional Florianópolis; Ingrid Assis, integrante do 8M SC;  Robson Ferreira Fernandes, professor da rede estadual de educação catarinense e Mestre em Ensino de História; Marlene de Fáveri, historiadora e professora aposentada da Udesc; Miriam Grossi, representante do Instituto de Estudos de Gênero da Universidade Federal de Santa Catarina (IEG-UFSC); Carla Ayres, vereadora de Florianópolis; Vanda Pinedo, integrante do Movimento Negro Unificado; Paula Guimarães, cofundadora e diretora executiva do portal Catarinas.

“Essa cartilha vem ser mais um instrumento que assegura o diálogo democrático na comunidade escolar inerente ao pacto com os compromissos constitucionais de respeito, tolerância e humanidade, onde perseguição e assédio não constituem diálogo. Sejamos fortes para acolher a diversidade no território escolar”, defende Fernandes.  

Serviço

O quê:  Lançamento da cartilha “Como defender-se das censuras ao debate de gênero, sexualidade e raça nas escolas?” 

Quando: Dia 20 de outubro, às 19h.

Onde: Alesc, em Florianópolis.

Portal Catarinas

Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.

Últimas