Último episódio do podcast aponta relação entre capitalismo e capacitismo

capitalismo
Arte: Maria Augusta Scopel Bohner. Descrição da imagem: Fotomontagem com fundo na cor azul e sistema de escrita braille. Os rostos de quatro mulheres com deficiência estão dispostos em uma composição, sendo uma mulher negra e três mulheres brancas. Ao redor do rosto delas há uma flecha para a direção da frase “outro mundo é possível’. Também há o símbolo internacional de acessibilidade; o símbolo do feminismo negro e dois asteriscos e dois losangos completando a composição. Na parte de baixo da imagem está escrito: Uma razão a mais pra ser anticapitalista. Cuidar do Futuro. Episódio 5.
Postado em 03/05/2022, 11:00

No último episódio da temporada “Cuidar do futuro” entrevistadas falam sobre a necessidade de ruptura do capitalismo como maneira mais efetiva de garantir o direito ao cuidado

Está no ar o 5º e último episódio da série “Cuidar do Futuro”, mais recente temporada do podcast “Narrando Utopias”. Nele, nossas entrevistadas Fernanda, Laureane, Mariana e Vitória falam sobre a necessidade de transformação do sistema que fortalece lógicas opostas ao direito ao cuidado: o capitalismo.

Para este episódio, adotamos a perspectiva da Nancy Fraser, teórica feminista que percebe o capitalismo como um sistema cuja lógica individualista invade todas as esferas da nossa vida, em que predomina a propriedade privada e a busca incansável pelo lucro ilimitado e pela acumulação de riquezas.

Laureane é categórica ao afirmar que “É esse sistema que valida que o cuidado só esteja disponível para quem tem privilégio econômico. O cuidado já está disponível para quem pode pagar. Essa é a questão. Não é uma discussão sobre cuidado para pessoas vulneráveis. É uma discussão de como democratizar o acesso ao cuidado por quem precisa, e não só para quem pode pagar”.

Assim como em episódios anteriores, elas destacam como a complexa interação entre capitalismo, capacitismo, patriarcado e racismo mantém uma verdadeira escala de desigualdade que explora principalmente mulheres negras e em situação de vulnerabilidade social. 

“Todos os cuidados estão direcionados para os homens brancos, cis, heterossexuais pra que eles possam prosperar no que eles pretendem fazer. Acho que é essa escala que a gente precisa pensar. Um super cuidado pra quem está na norma e a exploração do cuidado para quem é mulher, sobretudo mulher negra, e com salários baixos. Afinal, entende-se que o cuidado é um lugar que deve ser ocupado pela mulher e que pode ser conseguido de maneira gratuita”, afirma Mariana. 

Para deixar esse até logo mais especial, abrimos com nossas entrevistadas recitando a poesia “Uma razão a mais pra ser anticapitalista”, de Mauro Iasi – que dá título ao episódio. E como indicação de produto cultural, trouxemos uma animação que conta a história de Helen Keller, importante sufragista e ativista dos direitos das pessoas com deficiência que dá nome ao movimento que nos ajudou a construir esta temporada – o Coletivo Feminista Helen Keller de Mulheres com Deficiência. 

A temporada fica por aqui, mas os questionamentos, as reflexões e o compartilhamento de ideias seguem abertos.  Vamos continuar ampliando vozes e sendo escuta, enquanto aguardamos a próxima produção do podcast. 

Este projeto faz parte de Narremos a Utopia, uma iniciativa do Inspiratorio.org para imaginar futuros feministas, interseccionais e inspiradores. A realização é do Portal Catarinas em parceria com o Prosa, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com consultoria do Coletivo Feminista Helen Keller.

CONFIRA A AUDIODESCRIÇÃO DO EPISÓDIO:

Tags: , , , , , , ,



Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja tudo de Portal Catarinas