A estudante Rosa Maria mapeou sete possíveis asteroides | Foto: Gabriele Oliveira

Rosa Maria, asteroides e o sonho da ciência

Postado em 09/05/2022, 16:20

Estudante catarinense de 14 anos é homenageada após destaque em programa da NASA

A estudante Rosa Maria Miranda, de apenas 14 anos, ganhou visibilidade após mapear sete possíveis asteroides, através do programa International Astronomical Search Collaboration (IASC) da Nasa. 

Rosa, que está no nono ano do ensino fundamental do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, se destacou durante sua participação no programa, no qual pessoas de todo o mundo analisam imagens captadas por um satélite na Universidade do Havaí. As imagens cedidas são distribuídas para uma série de equipes cadastradas na plataforma da Nasa. 

Apaixonada pelo espaço e por todas as ciências que o envolvem, Rosa é integrante do Caça Asteroides MCTI, programa que é parceria entre o governo brasileiro, por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e a agência espacial norte-americana. 

Os dados dos sete possíveis asteroides mapeados agora serão analisados pelo Minor Planet Center, repositório mundial de dados sobre asteroides. Todo o processo pode demorar entre 6 e 10 anos. Mas, se forem confirmados pelo órgão oficial, a jovem Rosa Maria contará com a descoberta de sete asteroides em seu currículo. 

Currículo este já extenso e recheado de destaques: junto com outros três estudantes, durante sua participação na 1ª Olimpíada Brasileira de Satélites (Obsat), Rosa elaborou um nanossatélite de monitoramento dos níveis de gás carbônico (CO2) na estratosfera localizada acima das florestas de mangue do país. 

O projeto foi aprovado, ocupando o segundo lugar do pódio na categoria Ensino Fundamental II. Em fase de execução, um pequeno satélite será enviado ao espaço para realizar testes. 

Mas a astrofísica não é a única área onde Rosa se destaca. A jovem cientista também tem performances notáveis no atletismo e no canto – encantando os convidados presentes com suas apresentações durante a moção de aplausos realizada nesta quarta-feira, 4 de maio, em sua homenagem. 

Rosa Maria se apresentando durante a moção de aplausos em sua homenagem.
Rosa Maria fez uma apresentação musical durante a moção de aplausos em sua homenagem | Foto: Gabriele Oliveira

Inspiração

Rosa já é inspiração para muitas estudantes catarinenses, dada sua trajetória de persistência e amor pela ciência. Ocupando um espaço privilegiado em relação a outras escolas públicas do estado, a estudante sempre buscou formas de aproveitar toda a estrutura fornecida pelo Colégio de Aplicação e pela UFSC. 

Cursos como Astronomia, Astronáutica e Astrofísica Geral já tiveram a cientista iniciante como aluna. Alguns deles, que ocorreram durante a pandemia, só foram possíveis através do empréstimo de equipamentos de informática da UFSC, já que Rosa não possuía computador. 

Durante a cerimônia de homenagens à jovem, a professora Joana Célia dos Passos, eleita vice-reitora da Universidade na consulta informal entre as chapas, assinalou que o mérito de Rosa vai muito além dela mesma. 

“A tua conquista não é individual. É a conquista de anos de estudo dos seus professores. É dos seus colegas. E dos seus pais, que organizam pra te proporcionar educação. É uma conquista da sociedade brasileira, de quem defende a ciência na escola pública. O mérito é coletivo”, ressaltou durante a moção.

Também presente no evento realizado no auditório do Colégio de Aplicação, o vereador Marquito (Psol), que conhece Rosa desde que era criança, reforça que essa trajetória não se construiu apenas com os seus passos. 

“É uma trajetória de muita luta. Da família, que se envolve, que sabe a importância de se organizar enquanto família. Da universidade, por cumprir seu papel de fazer extensão e pesquisa, de produzir conhecimento. A gente precisa defender isso a unhas e dentes, do negacionismo que nos ataca”. 

Vereadora Carla Ayres e Vereador Marquito entregam a homenagem a Rosa Maria.
Vereadora Carla Ayres e Vereador Marquito entregam a homenagem a Rosa Maria. Foto: Gabriele Oliveira

A vereadora Carla Ayres (PT), que solicitou a homenagem à jovem, reafirma as palavras do seu companheiro de luta, ao salientar a importância de lutar pela Universidade estar cada vez mais presente em Florianópolis, mantendo suas portas abertas para estudantes e o público em geral. 

A moção de aplausos a Rosa Maria é uma iniciativa da Comissão da Ciência e Tecnologia e da Comissão em Defesa dos Direitos da Mulher e Promoção de Igualdade de Gênero da Câmara Municipal de Florianópolis. 

Próximos passos

Engana-se quem pensa que a jovem cientista está satisfeita: de agenda lotada, vem muito mais por aí. Além de dar palestras em diversas escolas públicas e particulares da ilha, para falar sobre astronomia, Rosa Maria já possui uma série de planos. 

Na próxima semana, começa a atuar como estagiária no Planetário da UFSC, onde pretende escrever um artigo científico sobre promoção da ciência e popularização da astronomia, para participar do Congresso da Sociedade Brasileira de Astronomia (SAB). 

Rosa Maria também irá lançar uma organização chamada Sagitarius A, onde deve criar projetos sustentáveis dentro do setor aeroespacial. “O nome escolhido é em homenagem a um buraco negro super massivo localizado no centro da Via Láctea”, afirma a estudante, com os olhos brilhando de paixão. 

Paixão que a move todos os dias, quando enfrenta uma jornada de mais de 12 horas de estudos e atividades curriculares – contando sempre com o apoio dos pais e o suporte da equipe do Colégio de Aplicação. 

Emocionada e pulando de alegria ao falar do futuro, Rosa Maria se mostra como realmente é: apenas uma menina, apaixonada pela ciência e pelo espaço. E assim como disse a professora Joana durante sua homenagem, o Portal Catarinas reforça: que o sonho da ciência permaneça. 

Rosa com seus pais, a vereadora Carla Ayres e o vereador Marquito.
Rosa com seus pais, a vereadora Carla Ayres e o vereador Marquito | Foto: Gabriele Oliveira
Tags: , , , , , ,



Estudante de Jornalismo (UFSC) dedicada à escrita de reportagens, com foco na cobertura de direitos humanos. Estagiária no Portal Catarinas, sob supervisão de Paula Guimarães.
Veja a coluna da Gabriele Oliveira