Conselheiras editoriais da iniciativa participaram do lançamento: Gika Voigt, Susi Brito, Tatiana Cobbett, Elaine Calove, Iara Germer, Dandara Manoela, Jana Gularte, Carol Voigt, Larissa Galvão e Natália Livramento/Imagem: captura da live de lançamento

“Portal Elas por Elas: Mulher na Música Catarinense” pretende chegar a 1000 inscritas

Postado em 10/05/2021, 17:16

O lançamento, que ocorreu no último sábado (8), foi marcado por apresentações artísticas e culturais. A transmissão ao vivo contou com a presença de 10 conselheiras editoriais do projeto.

A plataforma do Portal “Elas por Elas: Mulher na Música Catarinense” foi lançada na noite do último sábado (8) por meio de uma transmissão ao vivo pelo canal Café Maestro Produções no Youtube. Durante a live, 10 conselheiras editoriais do projeto estiveram presentes para mostrarem suas produções e destacarem a importância dessa iniciativa para a música em Santa Catarina. Leia a matéria sobre o Portal.

O objetivo inicial do portal é levantar dados cartográficos de no mínimo 1.000 artistas profissionais que atuam em três categorias: cultura popular, música contemporânea e música erudita. Três mulheres que abriram caminhos na música catarinense são homenageadas pela iniciativa e podem ser encontradas no Portal: a soprano Rute Gleber, como representante da música erudita, a cantora Neide Mariarrosa (in memoriam), como representante da música contemporânea, e a produtora Zenaide Maria de Souza, representando a cultura popular.

A mediação do lançamento do portal foi feita pelas conselheiras Gika Voigt, atuante na área de artes desde 1995, formada em música, é produtora, atriz e instrumentista, e Susi Brito, cantora, intérprete, compositora, professora de canto e diretora do grupo vocal feminino “As Passarinhas”.

A primeira convidada da live foi nada mais, nada menos, do que a idealizadora do projeto, cantora e compositora, Tatiana Cobbett. Mas, antes de entrar na transmissão, houve a exibição do seu clipe “Cilada”, um dos últimos trabalhos da artista. Sobre o portal, ela expõe a importância do projeto:

“O momento atual e essa potencialidade deste instrumento aqui pode de fato colocar o portal no lugar que eu imagino que ele estará, dando vozes às mulheres atuantes na música catarinense”.

Antes de fortalecerem a ideia de criar o coletivo, já existia o espetáculo “Elas por Elas”. Agora, o grupo de mulheres que criou, coletivamente, o espetáculo, faz parte do time de conselheiras editoriais do coletivo. Para Susi, essas mulheres inspiraram outros muitos projetos, inclusive o grupo dirigido por ela. Para isso, foi transmitido um trecho da apresentação das “As Passarinhas” interpretando a canção “Andorinha”, composta por Tatiana especialmente para o grupo e com participação especial dela.

Posteriormente, para chamar mais duas conselheiras do Coletivo, Natália Livramento e Jana Gularte, foi divulgado um teaser do espetáculo “Boêmia”, dirigido pela Cobbett, do qual as duas participaram como compositoras e cantoras. “O projeto cumpriu a função de alerta, pois falamos sobre coisas que estavam pintando que iam ocorrer e, agora, estamos vendo acontecer de uma maneira bem efetiva, infelizmente, como as violências, a opressão quanto a arte, onde é o lugar da mulher”, relembra Jana. Em relação a participação feminina, Natália evidencia o papel desse grupo no espetáculo. “99% das músicas eram de mulheres. Todo o repertório do espetáculo foi feito a partir das músicas de consagradas compositoras”, explica.

Para agregar na conversa, foi chamada a também conselheira, Carol Voigt, com a apresentação do vídeo “Nannaihnah Balanço de Saudade”, em que diversas vozes participaram do clipe. “Quanta gente em uma música só”, brinca. “Eu mandei para alguns grupos de forró para quem quisesse participar do clipe e apareceu gente de tudo quanto é lugar, do mundo todo”, completa. Ela explica que a música nasceu do nada e não conseguia imaginar como iria conseguir render o que rendeu.

A quinta conselheira chamada para participar da live foi a Iara Germer, que, segundo Gika, é “uma máquina de composição, compõe com todo mundo a toda hora”. Para isso, foi ouvido a gravação dela intitulada “Bicho Indiferente”, feita no lançamento do CD Proteção, primeiro da artista, em 2017. “Foi minha estreia como compositora, lançando um trabalho inteiro”, recorda. Para ela, Santa Catarina é um celeiro de boa música e de excelentes instrumentistas. “Temos mulheres incríveis que já conhecemos e fora as tantas que ainda não temos essa percepção e, para isso, a importância do nosso portal”, conta.

Além disso, um dos focos do portal é as instrumentistas mulheres e, para isso, convidam a Larissa Galvão, também conselheira e se dedica às composições ao piano. Para isso, houve a exibição do clipe da música “Hermota” do duo Larissa Galvão e Mariana Tabacow, lançado em 2020. “Eu tenho feito um pouco dessa troca, de ser convidada para gravar em parceria, como aconteceu para essa música”, pontua.

A última convidada da noite e conselheira do portal, Dandara Manoela, mostrou e falou um pouco do seu último trabalho lançado em dezembro de 2020, “Pretas Yabás”. “Que incrível estar aqui hoje, ver todos esses vídeos e pensar que isso é só uma pequena amostra do que terá dentro do Portal”, comenta sobre o lançamento. “É meu primeiro clipe, emoção a mil, estou muito feliz de poder realizar esse trabalho, quis trazer as mulheres negras em um formato de celebração, como se fosse um encontro já marcado com as nossas ancestrais”, admite.

Ao fim da conversa, um vídeo mostrando o passo a passo para entrar no portal foi transmitido. Produtoras, cantoras, compositoras e instrumentistas que atuam na cena da música catarinense, nascidas ou não no território local, podem se cadastrar no portal Elas por Elas. Na aba “Faça parte” há espaço para se inscrever e enviar material para a curadoria. No “Espaço Elas por Elas” estão todas as artistas cadastradas, com o texto e material enviado e como cada uma quis se apresentar. “Nosso Palco” é a área reservada para ações como rodas de conversa, podcast, festivais online, entre outros. Na aba “Conselheiras”, você conhece as profissionais que estão criando o mapeamento.

Quem ficou nos bastidores da live foi a produtora Elaine Calove, que também é produtora, e, sobre o projeto, ela ressalva:

“Eu acho que esse portal tem um grande potencial de pegar, na mão mesmo, todos que estão em uma situação periférica, de não aparecer, e trazer essa galera pro movimento”.  

No fim do lançamento ao vivo, todas as convidadas entraram novamente na live e, nesse momento, Tatiana agradeceu a todas. “Não é uma coisa que pertence a mim ou a você, é de todos, é só entrar, propor, chamar amigas para fazer uma roda de conversa. Eu queria que fosse mesmo um palco online, que possamos estar presentes com nossas falas, desejos e curiosidades”, declara.

Outras conselheiras editoriais não participaram efetivamente da live, mas que também integram o time, são elas: Priscila Schaucoski, Joana Golin Alves, Susi Brito, Silvana Leal, Claudia Barbosa, Denise de Castro, Elo Gonzaga, Dayana Nunez, e Tatyana Jacques. 

“Elas Por Elas: Mulher na Música Catarinense” foi contemplado pelo Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2020, da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). É apoiado pelo Portal Catarinas, Arapy Produções, MAF Economia Criativa, Café Maestro Produções e UEEK.

*Laura é estudante do sétimo período de Jornalismo da Univali e faz estágio no Portal Catarinas, sob supervisão da jornalista Paula Guimarães.

Tags: , ,