Foto Isadora Faria

Editorial – Não existe equivalência quando um lado faz apologia ao estupro

Postado em 27/10/2018, 18:15

Amanhã as brasileiras e brasileiros escolherão o novo presidente do País, assim como os próximos governadores dos Estados. É assim que a democracia representativa se renova a cada pleito. É para que ela seja mantida que nos dirigimos as urnas neste domingo. A garantia da democracia, que não se faz apenas pelo voto, mas com o acesso à educação de qualidade, à cultura, ao debate critico sobre nossa realidade e com a garantia de autonomia de nossas instituições, precisa ser o foco de nossa mirada neste dia 28.

Nestas eleições, que foram marcadas pela violência e intolerância, o discurso de ódio pareceu, em alguns momentos, que tinha vencido antes mesmo do segundo turno da votação. O ódio já fez suas vítimas, mas não podemos deixar que assim continue. Nossas vidam importam, todas as vidas importam.

E exatamente porque importam é que ainda há esperança, ainda há amor para a virada. Que amanhã não nos enganemos com o que a mídia hegemônica chama de polarização, da existência de dois projetos radicais defendidos pelos dois candidatos à presidência. Não existe equivalência quando um lado faz apologia ao estupro, à tortura e soma adeptos ao discurso racista, machista e homofóbico.

Nós do Portal Catarinas- Jornalismo com perspectiva de gênero  defendemos a democracia acima de tudo, a liberdade de imprensa, a existência da militância, dos ativismos como lugar de expressão dos movimentos sociais e o combate ao machismo, ao racismo, à homofobia e à xenofobia. Não deixaremos de nos posicionar contra as desigualdades, os impulsos fascistas  que visam calar quem tem o direito de falar. Lutamos pela pluralidade de ideias e de religião, pelas discussões de gênero no combate da violência, pela valorização das diferenças, pelo debate respeitoso e aberto que só é possível em uma democracia.

 




Portal de jornalismo especializado em gênero, feminismos e direitos humanos.
Veja a coluna da Portal Catarinas