Mulheres Semeando a Vida Narrando Utopias Puentes
Ilustração: Maria Augusta Scopel Bohner/Identidade visual: Lara Benedet.

Mulheres indígenas e camponesas plantam no presente um futuro de esperança

Postado em 29/08/2021, 10:26

A convivência harmônica com a natureza que nos cerca é apontada como um dos grandes desafios de nosso tempo, dela dependem a sobrevivência dos rios e mares, dos animais e da humanidade. O Portal Catarinas em parceria com o Prosa, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), lança no mês de agosto a campanha “Mulheres semeando a vida”. A ação une tecnologia, comunicação e educação para narrar um futuro de esperança através das histórias e práticas agroecológicas de mulheres indígenas e camponesas em suas comunidades.

Toda ação recebeu consultoria do Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) e da Comissão Guarani Yvyrupa (CGY), com o objetivo de que o protagonismo fosse realmente das indígenas e camponesas. As mulheres entrevistadas também integram esses movimentos: Geovana Castelo Branco, mulher do campo de 50 anos que vive em um assentamento da Reforma Agrária no Acre; Maria Madalena dos Santos, a Nina, quilombola de mais de 70 anos que vive no interior da Bahia; Justina Inês Cima, 65 anos; e Noeli Welter Taborda, 40 anos, ambas mulheres do campo do Oeste de Santa Catarina são do MMC. Já Kerexu Yxapyry, mulher indígena Mbyá-Guarani, de 41 anos, da Terra Indígena Morro dos Cavalos, em Palhoça (SC); e Geni Núñez, de 30 anos, indígena Guarani, de Florianópolis (SC).

“De alguma forma as nossas pautas beneficiam todo mundo e beneficiam inclusive não humanos, no sentido desse cuidado com a terra, com os seus, com os demais seres”, explica Geni (CGY), em uma das entrevistas.

Assista o teaser de lançamento: