Duda Cardoso, protagonista do curta-metragem “Resistência Maria”, gravado em Florianópolis. (Foto: Divulgação)

“Resistência Maria” narra a luta das mulheres negras periféricas, em Florianópolis

Postado em 14/12/2020, 17:34

A produção gravada no bairro Monte Cristo será lançada nesta terça-feira (15) no Centro de Educação Popular, instituição ligada ao Padre Vilson Groh, localizado no Monte Cristo

“Eu sou preta, sim”. É com essa afirmação que Eduarda Cardoso, de 16 anos, dá início a um potente monólogo no curta-metragem “Resistência Maria”. A produção, gravada no bairro Monte Cristo, em Florianópolis, será exibida nesta terça (15) e quarta-feira (16), no Centro de Educação Popular – CEDEP, instituição ligada ao Padre Vilson Groh. 

Com um tom forte e frases que nos trazem para a realidade, Eduarda protagoniza um verdadeiro desabafo sobre o racismo. Como mulher preta e periférica, ela chama atenção para a luta diária daquelas que por conta da pele têm 70% de chances a mais de serem assassinadas. Não só as mulheres, como constata a reportagem especial sobre violência policial em Santa Catarina. A polícia catarinense matou 85% a mais no isolamento social e a vítima é a população negra periférica em geral.

Enquanto a imagem de uma parede esburacada de tiros aparece no vídeo, Eduarda fala: “O massacre contra o meu povo, o povo preto e pobre, segue acontecendo”. 

O texto foi escrito pelo psicólogo de Eduarda durante as sessões de terapia. “Ele escreveu baseado nas minhas vivências, então surgiu a oportunidade de apresentá-lo como monólogo no evento “Marias da Resistência”, no Teatro Álvaro de Carvalho no ano passado e agora adaptamos para vídeo”, conta a protagonista. A direção é de Cayo Louran.

Eduarda Cardoso tem 16 anos e é moradora do bairro Monte Cristo. Foto: Divulgação

A obra de quase 7 minutos ainda traz a participação de outros moradores do Monte Cristo e tem como objetivo dar voz e visibilidade às violências vividas por quem há 500 anos sofre com o preconceito racial e social no Brasil. 

“Não é fácil viver aqui, em um estado que tem como maioria pessoas brancas, mas quando a gente pensa que o futuro pode ser melhor, que o racismo pode acabar, isso me dá mais esperança”, afirma Eduarda. 

Nascida no Monte Cristo em uma família de 6 irmãos, Eduarda conhece como ninguém as mazelas de viver à margem da sociedade. Criada por uma mãe solo, a garota faz questão de enaltecê-la no monólogo. “Minha mãe é uma mulher preta muito batalhadora. Ela é faxineira e sempre esteve ao nosso lado, nunca nos abandonou”.  

Entre as atrações previstas para o lançamento do filme, destaca-se a exposição de fotos do artista André Quadros que, de forma voluntária, participou de todo o processo de captação do filme. As fotografias que fazem parte da exposição registram de forma sensível e potente o desenvolvimento da atriz ao longo da produção audiovisual. 

A pré-estreia e exposição contará ainda com seis diferentes sessões acontecendo em diversos horários, como forma de cuidado as medidas de precaução em relação ao Coronavírus, inclusive prevendo como estratégia o atendimento exclusivo a pequenos grupos. 

Toda a renda arrecadada com a venda das fotografias da exposição será destinada ao CEDEP. Fundada há 33 anos, a instituição trabalha com programas sociais e  pedagógicos, oferecendo atividades ligadas à educação, esporte, alimentação, saúde, assistência e cultura. 

As atividades desenvolvidas pela organização contribuem diretamente com a transformação das realidades sociais do Monte Cristo. “A nossa moçada da periferia só precisa de uma oportunidade. A solidariedade não é um decreto escrito. Ela é um impulso tão profundo dentro de nós que fala sobre a nossa capacidade de compaixão em mover-se com”, explica o padre Vilson Groh.

Serviço
O que: Lançamento do curta “Resistência Maria”
Quando: 15 e 16 de dezembro de 2020, às 19h, 20h e 21h.
Onde: Centro De Educação Popular – CEDEP
Quanto: Entrada gratuita – Reserva de Vagas pelo telefone 48 9 88280193

Tags: , , , ,