Crédito da imagem: Abrasabarca em dia de fogueira no morro

Coluna da Abrasabarca

Poéticas da convivência: duração

Postado em 30/06/2020, 12:52

ponho batom vermelho pra escrever
melhor
não tenho nada nas mãos
e alguns pelos me revoltam
pela manhã

toda forma de conduta
gera contrações
ser o que o outro quer
que seja
assim
tão eu
os desafios da época
da razão
do consentimento

tenho que voltar
a escuta
dos sinais internos
muito perto das pedras
o calor
chama
presa na janela
você e eu
abraçados em um único cachecol azul
eu preferia o vermelho
mas você foi tão persuasivo
com seu charme anos 90
que topei
na pedra
na mosca

eu tenho uma arma secreta
que não machuca ninguém
ela me olha toda vez que saco

um punhado de folhas da gaveta
um punhado de gravetos
que vira
fogueira

eu ainda tenho medo do escuro
do vazio que cria
e apaga
ao mesmo tempo
a memória
o começo de tudo
e a gente tenta segurar o presente
como a criança que repete a mesma brincadeira
59 vezes
e a repetição é sempre outra
experiência

eu repito
como quem medita
seguro você entre as pernas
minha fortaleza
balanço os peitos em tua direção
e me surpreendo
a cada movimento teu
o mundo despenca lá fora
a gente sente angústia

e tenta ser algo
além de queda

alguém disse que as quedas são inevitáveis
passo por ti
na ida ao banheiro
bato o joelho na cadeira
quase caio
na volta da cama
encontro
a repetição
criadora

 

 

Ju Ben




ABRASABARCA se dedica à pesquisa, descoberta e (re)invenção poética. Somos um coletivo que se formou em encontros para ler poemas e falar de literatura em torno da mesa, da fogueira, do vinho, dos livros. A brincadeira de ler em conjunto o texto de outras e outros nos trouxe o desafio e o prazer da escrita autoral. Formado por Ariele Louise, Ana Araújo, Elisa Tonon, Ibriela Sevilla, Juliana Ben, Juliana Pereira e Luciana Tiscoski, realizou as publicações Abrasabarca (Medusa, 2018) e Revoluta (Caiaponte, 2019). Principais performances: Durar ou arder? (Quinta Maldita, 2018), Uma mulher o que é? (Sarau da Tainha, 2019), Como olhas? (FestiPoa Literária, 2019), Revoluta (Bienal Internacional de Curitiba/ Polo SC, 2019).
Veja a coluna da Abrasabarca