coluna aborto meu voto será feminista
Foto: Sandra Cartasso.

Coluna da Meu Voto Será Feminista

A todo corpo que menstrua, menstruou ou menstruará

Postado em 29/09/2021, 14:00

28 de setembro | Dia de Luta pela Legalização do Aborto

Esse dia é para você, mesmo que você ache que não. 

Há 31 anos a Descriminalização e Legalização do Aborto na América Latina e Caribe é pautada todo dia 28 de setembro. Há 31 anos feministas reivindicam o direito ao aborto e o direito à soberania dos corpos que menstruam, menstruaram ou menstruarão. 

Uma vida adulta dedicada à vencer a falsa dicotomia que aprisiona e mata esse debate, assim como tantas mulheres em 128 países do mundo onde o aborto ainda não é legalizado.

Ser contra o direito ao aborto não te faz uma defensora da vida. Ser a favor do direito ao aborto não te faz uma assassina.

Não é difícil entender isso, mas o assunto costuma ser deturpado em pautas morais que não ajudam e turvam o centro da questão. 

“Não é sobre defender vidas, é sobre controlar corpos que menstruam…E o que isso tem em comum com a cultura do estupro? É que o estupro e o assédio sexual são formas de ter controle sobre a outra pessoa.” – respondeu Alexandra Ocasio-Cortez, congressista norte-americana, ao jornalista Anderson Cooper, da CNN.

Na ocasião, Ocasio comentava a nova regra imposta pelo Governador do Texas, Greg Abbott, que restringe a seis semanas o tempo que uma pessoa, mesmo tendo sido vítima de estupro ou incesto, pode acessar o direito ao aborto no estado.

A manifestação explícita de nojo à  medida do governador do Texas, causou grande repercussão em todo o mundo. Não pelo ineditismo de seu posicionamento, movimentos feministas pautam a defesa ao direito ao aborto há décadas, das maneiras mais diversas, mas pela naturalidade que manifestou sua defesa ao direito ao aborto, políticamente, como uma congressista. 

Em 2019, tivemos a oportunidade de conhecer companheiras que integraram o movimento “Estamos Listas”, uma lista feminista de candidaturas que disputaram as eleições proporcionais de Medelín, Colômbia. A história do movimento é belíssima e de sucesso, recomendamos a todas que não conhecem, que procurem saber, mas aqui gostaríamos de destacar uma particularidade. Perguntamos a elas como conseguiam tocar um movimento tão expressivo, amplo, e juntar tantas pessoas que concordassem com a agenda feminista progressista que elas representavam. Sem muitos rodeios, nos responderam que escolheram bem os denominadores comuns. Para apoiar e fazer parte do movimento, não precisava nem mesmo se declarar feminista. Era preciso “apenas” defender abertamente o direito ao aborto e à diversidade. 

Dentre tantos “denominadores comuns” possíveis, a defesa do direito ao aborto estava em primeiro lugar, de dois lugares. 

coluna aborto meu voto será feminista

Foto: Sandra Cartasso.

Ocasio no congresso americano, Estamos Listas na Câmara de Medelín, todas as feministas, candidatas e eleitas da nossa plataforma Meu Voto Será Feminista 2020 têm isso em comum. A defesa sem pudor e o compromisso com a garantia do direito ao aborto e da autonomia dos corpos que menstruam, menstruaram ou menstruarão. 

Oficina Virtual Direito ao Aborto: Antipatias, Simpatias, Empatias

Somando no Programa de atividades deste 28 de setembro – Dia de Luta pela Legalização do Aborto, o SOS Corpo, a partir de Recife, realizará uma oficina virtual de reflexão entre militantes de movimentos sociais sobre esta causa, no dia 30 de setembro, das 17h às 20h. Venha refletir com a gente sobre as ideias que o feminismo já construiu em torno da legalização do aborto, os cenários políticos que podem atrapalhar ou favorecer a nossa luta, e como você pode se implicar nessa história. Te convidamos a construir juntes, e coletivamente, ideias e ações para defender a autonomia dos nossos corpos e a justiça reprodutiva. Vamos fortalecer a luta pelo direito ao aborto no Brasil.

Para participar, preencha o formulário: https://forms.gle/e1dbWH7ctLmjLiyj7

Boletim Futuro do Cuidado | Nem Presa Nem Morta por Aborto 

Um boletim bimestral produzido pelo coletivo “Nem Presa Nem Morta”, sobre assuntos relacionados à Justiça Reprodutiva em tempos de pandemia. Vale sempre a leitura.

 




O Meu Voto Será Feminista é um projeto autogestionado e suprapartidário, criado em 2018 no ecossistema da movimentação PartidA Feminista e que a partir de 2019 ganha vida própria. As co-criadoras e gestoras do projeto – Bia Paes, Carol Vergolino, Daiane Dultra e Juliana Romão – estão sediadas em Recife/PE e comandam de lá o movimento nacional, potencializando o Nordeste na luta por mais mulheres no poder.
Veja a coluna da Meu Voto Será Feminista