Coluna da Fêre Rocha

Nariz vermelho

Postado em 24/10/2016, 10:23
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Do geral do mundo sabemos, sabemos bem, não recebemos o afago sincero de pessoa quase alguma. E sabemos porque se aprende pela repetição, quando criança e quando criança com altura e rugas e contas a pagar. Ou também se aprende pelo nó na garganta, o choro engolido na frente das crianças; pequenas e as com altura. Do geral do mundo não recebemos nem sorriso de graça e os bom dias são quase sempre uma desgraça gélida e artificial. Abraço é iguaria, caro, mas desvalorizado. Felizes são os palhaços de circo que fingem rir com prévia autorização e pagamento do público. Só o palhaço pode dar um boa noite encenado e ser amado. Você não.




Jornalista, escreve no Blog da Fêre há oito anos, espaço criado para publicação de seus escritos e divulgação da música brasileira. Fêre tem algumas parcerias musicais com músicos de Floripa e Sampa e é colunista na revista digital Itinerário Imprevisto. Cotidiano Horizonte é seu primeiro livro publicado.
Veja a coluna da Fêre Rocha