Mapa colaborativo da criminalização das mulheres por aborto

Ilustração: Flávia Fernandes

“Você tem conhecimento de alguma situação em que uma paciente sofreu discriminação ou foi denunciada à polícia enquanto buscava atendimento médico pós-abortamento? Já passou por esse tipo de situação? O Mapa da criminalização das mulheres por aborto foi produzido como um diagnóstico com base em matérias jornalísticas veiculadas na imprensa digital para fazer um monitoramento dos casos em que mulheres são criminalizadas e discriminadas em atendimento médico pós-abortamento. Links de notícias não listadas e relatos podem ser enviados no e-mail [email protected] Os dados levantados darão suporte à continuidade do trabalho de acompanhamento.

Abaixo a listagem dos casos a partir do diagnóstico inicial:

Acre

Samu, Rio Branco

Mato Grosso do Sul

Hospital de Sidrolândia, Sidrolândia

Samu, Hospital Regional Rosa Pedrossiam, Campo Grande

Maternidade de Corumbá, Corumbá

Hospital, Cuiabá 

Socorro médico em casa, Campo Grande

Paraná

Hospital Evangélico, Curitiba 

Hospital Universitário, Cascavel 

Rio de Janeiro

Hospital da Mulher, Barra Mansa

Rondônia

Maternidade Municipal Mãe Esperança, Porto Velho

São Paulo

Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jaguaré, Rio Preto

Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jaguaré, Rio Preto

Santa Casa de Birigui, Birigui

Maternidade Santa Isabel, Bauru