Registro do “Encontro com Mulheres em Defesa da Democracia”, realizado em abril/Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

União Brasileira de Mulheres divulga carta à Dilma Rousseff

Postado em 02/09/2016, 11:21

A União Brasileira de Mulheres (UBM) publicou nesta semana uma carta para Dilma Rousseff, agora ex-presidenta do Brasil. Confira abaixo:

Carta à presidenta Dilma Rousseff:

Querida presidenta,

Nós, mulheres da UBM, queremos que a senhora se sinta abraçada neste momento. Sinta como se cada uma de nós estivesse abrindo os braços em sua direção e mandando todo o carinho e sororidade que a senhora merece.

Porém, esse abraço não é de consolo, não é de derrota, não é de tristeza. Nosso abraço é de respeito, força e reconhecimento por toda a sua luta. A nossa luta. A luta por um Brasil mais justo, menos desigual e mais honesto.

Essa luta, presidenta, maior que nossas vidas, maior do que a nossa existência, foi e é muito bem representada pela senhora. A vida quer é coragem, presidenta. A senhora mostrou, mais uma vez, que isso não lhe falta. A senhora resistiu à tortura, à prisão, a um governo ditatorial. A senhora resistiu ao câncer. A senhora resistiu aos golpistas mais uma vez. No ano de 2016, a situação se repete. Este é um capítulo lamentável de nosso País. Mas a senhora foi firme. Não abriu mão de mostrar, mais uma vez, a força que a senhora tem. A força que a mulher tem.

A História, presidenta, essa é implacável. Os golpistas conseguiram o que eles queriam hoje. Mas a História vai mostrar o lado certo. A História vai mostrar que a senhora e nós estivemos e sempre estaremos do lado da democracia. Os arquitetos do impeachment de hoje serão tratados como o que são: golpistas. E a senhora será mostrada como o que é: uma guerreira, uma fortaleza.

A quantos golpes uma mulher é submetida por dia, não é mesmo? A senhora sofreu mais um. Os conservadores não aguentaram ver uma mulher na Presidência. Eles não suportam nos ver em situações de destaque. Para eles, só devemos ser enfeites, só devemos ser servas, só devemos ser belas, recatadas e do lar. Quando uma mulher se torna presidente por maioria de votos, isso já incomoda os machistas conservadores. Quando essa mulher é forte e firme como a senhora, isso incomoda mais ainda. Eles não estão acostumados a ouvir ordens de mulheres. Não estão acostumados a nos respeitar.

Nós, mulheres da UBM, estamos ao lado da senhora neste momento. Pois o seu lado é o lado da democracia, é o lado da justiça e o lado do respeito à luta de muitas outras mulheres. A nossa luta, querida presidenta, não acaba hoje. Seguiremos denunciando o caráter machista, fascista, racista e misógino deste governo golpista. Estaremos nas ruas. Esperamos encontrar a senhora nelas. Aí sim, poderemos dar esse abraço pessoalmente.

A luta continua! Machistas e golpistas: não passarão! Força, querida.

União Brasileira de Mulheres