SETEMBRO

– Mulheres na Arábia Saudita intensificam campanha contra as leis de guarda de seu país e o sistema repressor que impede mulheres de viajar ao exterior, casar-se ou sair da prisão sem permissão de um guardião homem.

– CATARINAS acompanha as Eleições 2016 e entrevista as candidaturas à prefeitura de Florianópolis.

– Estudo realizado pela ONG SOS Corpo – Instituto Feminino para a Democracia confirma que as mulheres ainda estão longe de ter efetiva autonomia financeira. Três regiões analisadas, nos estados de São Paulo, Pará e Pernambuco, mostraram que muitas até conseguem tirar o sustento mas não têm tempo pra usufruir desse dinheiro, por conta da dupla e até tripla jornada, quando somam mais de um trabalho com os cuidados com a casa e a família.

– Colégio Pedro II, tradicional instituição federal de educação básica, sediada no Rio de Janeiro, faculta aos meninos (crianças e adolescentes) o uso da saia como uniforme. A decisão acompanha a Resolução 12/2015 da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, segundo a qual “deve ser facultado o uso de vestimenta conforme a identidade de gênero de cada sujeito”.

– A Suécia cria lei que consagra o crime de estupro on-line, considerando os abusos sexuais a crianças na Internet, , que poderá levar até dez anos de prisão – de acordo com um relatório de uma comissão de revisão penal entregue nesta quarta-feira (5) pelo governo.

– Coronel Pedro Chavarry Duarte vira réu no processo da 23ª Vara Criminal do Rio, no qual é acusado do estupro e corrupção ativa.

Eduardo Cunha é cassado por uma maioria no Plenário da Câmara dos Deputados. Cunha é considerado o inimigo das mulheres por ser o autor do Projeto de Lei Nº 5.069 que dificulta o acesso à pílula do dia seguinte e ao aborto legal às vítimas de estupro e exige exame de corpo de delito para comprovação da violência.

– Urnas trazem resultado irrisório para representatividade das mulheres em SC. 

– 10 anos da lei Maria da Penha

– CATARINAS lança reportagem especial “Somos Muitas clandestinas” que conta a experiência de catarinenses que passaram por aborto inseguro.

Dados da reportagem "Somos Muitas clandestinas"

Dados da reportagem “Somos Muitas clandestinas”

– CATARINAS participa da Virada Feminista Mídias, 24 horas de debate em alusão ao Dia de Luta pela Descriminalização do Aborto.

Manifestações reúnem cerca de 5 mil pessoas contra cortes de direitos trabalhistas, já em pauta no Congresso Nacional. O protesto também pede o Fora Temer.

tembro

– Pesquisa do DataFolha conclui que um terço da população brasileira culpa mulheres por estupros sofridos.

– CATARINAS participa do Floripa Cidade Utópica, evento que reuniu representantes de cerca de 40 iniciativas que repensam conceitos e inovam em suas ações sociais, culturais, ambientais, econômicas, na área da comunicação, entre outras.

 

 

– Relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que grupos indígenas brasileiros estão mais ameaçados hoje que há 30 anos. Número de assassinatos de líderes indígenas teria subido de 92 em 2007 para 138 em 2014.