Por todo o Brasil, mulheres dizem não à PEC que criminaliza o aborto legal

Postado em 12/11/2017, 16:21

As mulheres estão mobilizadas em todo o país para pressionar contra a aprovação da  Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 181/2015, referendada no dia 8 de novembro por uma Comissão Especial da Câmara. Manifestos, atos e outras formas de pressão pela rejeição do relatório do Projeto de Emenda Constitucional 181, em tramitação na  aprovado pela Comissão Especial da Câmara Federal, estão sendo organizados para esta semana. Em Florianópolis, a concentração acontece a partir das 17 horas na Esquina Feminista, em frente ao Mercado Público, no centro.

: Confira os locais e datas dos atos pelo país contra a criminalização total do aborto proposto pela PEC 181 (CAVALO DE TROIA)::

Em Santiago, no Chile, ativistas e integrantes da sociedade civil reunidas na Conferência Regional sobre População e Desenvolvimento na América Latina e Caribe também divulgaram carta em repúdio à PEC 181/2015 durante encontro organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. “O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em seu último relatório “Mundos Distantes”, mostra a precariedade da vida reprodutiva das mulheres brasileiras, especialmente as mais pobres. Elas são a maioria, composta de 4,2 milhões de brasileiras, que mesmo com décadas de investimento, não tem a demanda por contraceptivos de idade reprodutiva atendida. Dentre estas, as mulheres jovens são as mais atingidas: 20% das mães têm menos de 20 anos de idade”, diz o texto, e complementa: “As mulheres devem ter a prerrogativa de decidir sobre o seu corpo, a sua saúde, a sua vida e a vida de seus filhos com o apoio total do país.” Leia a íntegra 

“Nesse momento histórico em que o Patriarcado e o Capitalismo avança a nível internacional para atentar contra a vida das mulheres, no contexto nacional temos um congresso que empunha uma bíblia em uma mão e uma espada na outra. Precisamos nos mobilizar para barrar esse retrocesso que viola nossos direitos”, disse, em nota, as mulheres do Movimento de Mulheres Camponesas. Leia a íntegra no site do MMC.

A Anistia Internacional criou uma plataforma de ação on-line que permite enviar e-mails aos deputados pressionando pela rejeição do parecer da relatoria, que inclui a vedação ao aborto nos casos legais, e aprovação do texto original da PEC 181/2015. Para participar, clique aqui