Moradores se manifestam em frente a Casa D’Agronômica neste domingo (18).

Moradorxs do Morro do Horácio se manifestam contra intervenção da PM

Postado em 18/09/2016, 20:25

O Morro do Horácio, em Florianópolis, está sob ofensiva da Polícia Militar, neste fim de semana. É o que afirmam moradorxs da comunidade e arredores. Segundo as denúncias, a PM está realizando uma intervenção no local desde sexta-feira (17), o que inclui revistas às pessoas, automóveis e casas. De acordo com as fontes, há uma movimentação da PM na região desde sexta-feira. “A PM está fortemente armada na rua e parando todo mundo que sobe e desce, eu inclusive tive uma arma apontada para a minha cabeça quando chegava em casa”, conta uma moradora.  Há relatos de que os policiais teriam quebrado móveis e pertences na casa de, pelo menos, um morador considerado suspeito por já ter tido envolvimento com tráfico de drogas no passado.

Segundo outra moradora, a revista se repete a cada vez que se tenta entrar ou sair do Morro. Os policiais não apresentam justificativas.

“Aconteceu hoje quando eu e minha família saíamos a passeio. Eles revistaram os homens, não havia policiais mulheres para fazer a revista nas moradoras.  Mas também acontece a cada vez que precisamos sair pra trabalhar, ir ao mercado ou fazer qualquer coisa.  As revistas são abusivas, muitas vezes. Eles agem com grosseria”, relata a moradora.

Por volta das 17h deste domingo, moradorxs desceram o morro com cartazes e uma bandeira branca em direção a Casa D’Agrônomica, residência oficial do governador Raimundo Colombo. A expectativa era chamar a atenção para o que ocorre. “A reivindicação é por um controle das ações da polícia que estão invadindo casas, batendo em moradores e realizando revistas abusivas”, é o apelo de S., morador da região. Preocupadxs com a situação, residentes da rua Antônio Carlos Ferreira cogitam fechar o acesso ao local neste domingo (18).

“A gente é cidadão sabe muito bem o que houve com o policial, entende o que vivem os policiais militares, mas a comunidade inteira não tem culpa do que aconteceu”, relata outro morador.

A população acredita que seja uma operação de represália desencadeada após o assassinato do policial militar Vinícius Alexandre Gonçalves, morto durante uma ronda, na quinta-feira (15). A equipe do Portal Catarinas tentou contato com o Centro de Comunicação Social da Polícia Militar através de telefones oficiais e das redes sociais, mas não obteve sucesso na resposta. Aguardamos o pronunciamento da PM para publicarmos.

Entenda o caso
Na última quinta-feira (15), o soldado da PM Vinícius Alexandre Gonçalves morreu após ser baleado no abdômen enquanto realizava a ronda noturna no Morro do Horácio, em Florianópolis. O agente integrava o Pelotão de Patrulhamento Tático do 4º Batalhão de Florianópolis. O velório ocorreu na sexta-feira (16). Em nota, a PM prestou homenagem ao agente. “Hoje chora mais uma mãe, uma esposa, e toda sociedade, num país onde se perde o maior número de policiais, nesta guerra desleal contra o crime”, reforça o documento.

O Governo do Estado decretou luto oficial de um dia pelo falecimento do soldado policial militar Vinícius Alexandre Gonçalves, desde 2011 na corporação. “Ele foi vitimado durante atos de serviço em Florianópolis”, reconhece. A Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc) também lançou nota de pesar lamentando o ocorrido. Nas unidades da PM em todo o estado, agentes da corporação prestaram continência e ligaram as sirenes das viaturas, às 17h30 da sexta-feira, durante um minuto.