Polícia Militar em cenários de cenário de guerra no ato realizado na última sexta-feira/Foto: Catarinas

“É inaceitável a operação de guerra”, diz Comissão de Direitos Humanos da Alesc

Postado em 05/09/2016, 16:56

Na tarde de hoje (5), a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) emitiu nota sobre a ação violenta da Polícia Militar de Santa Catarina no ato “Fora Temer”, realizado na última sexta-feira. Abaixo o texto na íntegra:

“A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, por intermédio do seu Presidente, vem a público manifestar preocupação com a forma como a Polícia Militar de Santa Catarina vem atuando em relação às manifestações de protesto contra o impeachment da Presidente da República Dilma Rousseff.

Repudiamos o emprego exacerbado da força policial, como o registrado na última sexta-feira, 2, no centro de Florianópolis, para reprimir manifestação pacífica.  É inaceitável a operação de guerra que foi montada para coibir e intimidar as organizações sociais e os demais participantes da mobilização que protestavam contra o governo ilegítimo de Michel Temer.

Lamentamos que a liberdade de expressão e manifestação de pensamento sejam tolhidas neste momento e registramos que a forma de tratamento tem sido diferenciada, se comparada ao comportamento que o Comando da  PM teve em  relação aos manifestantes pró-impeachment, em outro momento.

Entendemos que o direito de manifestação não inclui nem autoriza atos de violência contra pessoas, contra o patrimônio público ou particular, mas também alertamos que as forças de segurança devem ser pautadas pelo bom senso.

É obrigação do  Estado garantir  a segurança  e o direito dos cidadãos que fazem a livre manifestação democrática, sem colocá-los em risco. O confronto leva a atitudes extremadas e prejudica a democracia,  que deve ser construída com diálogo e  respeito, a fim de evitar que aflorem o medo e a insegurança que levam a  excessos, seja por parte do aparato do Estado ou das pessoas que ali estão se manifestando.

Florianópolis, 5 de setembro de 2016.

Deputado Estadual Dirceu Dresch
Presidente da Comissão de Direitos Humanos
Assembleia Legislativa de Santa Catarina