Foto: Chris Mayer

Ciclo de seminários regionais em SC pede fim da violência doméstica contra a mulher

Postado em 16/08/2017, 11:50

Santa Catarina é o quarto Estado brasileiro mais violento para as mulheres. Levando em conta este dado alarmante e a necessidade de mobilizar a sociedade para o enfrentamento da violência, a Bancada Feminina da Assembleia Legislativa, coordenada pela deputada Luciane Carminatti, e a Escola do Legislativo promovem a partir deste mês uma série de 13 seminários regionais percorrendo todo o território catarinense. O primeiro encontro será realizado em Guarujá do Sul, no extremo-oeste, na quinta-feira, 17 de agosto, das 8h às 18, no Pavilhão da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.

De acordo com a deputada, é necessário ampliar o debate e cobrar do governo catarinense ações concretas e efetivas, especialmente na ampliação e fortalecimento da rede de serviços, acesso à Justiça e agilidade nos mecanismos de proteção, além de oportunidades de qualificação e autonomia de renda das mulheres.

“O nosso Estado tem falhado na proposição de políticas públicas, no repasse de orçamento e na integração da rede de atendimento, impedindo a sistematização de informações e a eficácia dos mecanismos de proteção. Sem dados reais, a violência se torna invisível. Precisamos romper o silêncio e fazer o debate no campo e na cidade, dentro de casa e nos espaços públicos, nas escolas, nas igrejas, nos tribunais e nas tribunas”, destaca a deputada Luciane.

A parlamentar alerta para a necessidade de denunciar publicamente todas as formas de violências nas diferentes regiões do estado. O Oeste registrou o maior número de casos deste tipo nos últimos dois anos, seguida pela região Norte. No estado inteiro os feminicídios e as agressões domésticas têm aumentado consideravelmente. “Não se sabe se os casos estão aumentando ou se as mulheres estão denunciando mais, porque o Estado não tem essa informação. Porém, sabemos que homens e mulheres sofrem violência, mas é a mulher que morre dentro da própria casa”, enfatiza a deputada Luciane, ao lembrar que a maior parte das agressões é praticada por (ex) companheiros.

Os eventos são abertos às mulheres e homens do campo e da cidade (de todas as idades), entidades populares, organizações e órgãos públicos do executivo, legislativo e judiciário responsáveis por implantar e fiscalizar as políticas públicas.

Para realizar os seminários, a Bancada conta com parcerias em cada região – movimentos das mulheres do campo e da cidade, instituições, órgãos públicos locais, universidades, entidades e coletivos comprometidos com o enfrentamento à violência. Depois de Guarujá do Sul, os municípios que sediarão os encontros são: Lages, Caçador, Iporã do Oeste, Mafra, Joinville, Orleans, Ipumirim, Campos Novos, Ipuaçu, Chapecó e Blumenau. O último e grande seminário marcará o mês da mulher, no dia 7 de março de 2018, em Florianópolis.